Após marcar 20 gols pelo Ceará em 2014 e reencontrar o bom momento na carreira, o experiente Bill chegou como solução para o ataque do Botafogo na temporada 2015. Nos cinco primeiros jogos pelo alvinegro, logo marcou quatro gols e mostrou que a aposta da diretoria parecia acertada. O início promissor empolgou torcida e assustou adversários. Mas não passou disso.

Os dias de bola na rede e reconhecimento foram trocados por polêmicas, um jejum que já dura mais de um mês e até mesmo a ameaça de prisão por falta de pagamento de pensão alimentícia à ex-mulher que é mãe de seus dois filhos.

Após o episódio, Bill disputou seis jogos e marcou apenas um gol – em 18 de fevereiro, o último com a camisa do clube carioca. E ainda que o fato não tenha relação direta com seu desempenho em campo, outros episódios mostram que a fase é delicada.

O lado polêmico voltou a aparecer nas provocações a Marcelo Cirino, atacante do Flamengo, antes do clássico contra o rival. Bill disse que o jogador “só sabia correr”. Apesar da vitória no jogo, o retrospecto é inferior ao do rival desde o episódio.

Na sequência, o atacante sofreu uma lesão muscular na panturrilha que o deixou quase três semanas afastados do time. De volta, ficou marcado pela zuação em um treino, pelo pênalti perdido contra o Barra Mansa – aos 42 minutos do segundo tempo – e pela polêmica com o vice-presidente de futebol do Botafogo, Antônio Carlos Mantuano, que o cobrou no vestiário após o lance que custou a vitória da equipe.

A sucessão de problemas, no entanto, parece não assustar o experiente jogador.

“Isso tudo não me abala. Eu tenho que manter a cabeça erguida. Não sou moleque e sei dos meus objetivos. Pego cobrança até em casa. Eu gosto disso, gosto de ser cobrado sempre”, minimizou o atacante, após mais uma atuação irregular, no último domingo, no empate com o Vasco.

E mesmo longe da fase ideal, Bill segue contando com a confiança do técnico Renê Simões. O atacante será titular e terá mais uma chance de espantar o mau momento na próxima quarta-feira, contra o Botafogo-PB, pela Copa do Brasil.

Segundo palavras do próprio e da diretoria, os problemas com pensão e cúpula do clube já estão superados. Restam os gols que marcaram o início de ano do atacante.

Fonte: UOL