A queda precoce do Botafogo na fase de grupo da Libertadores queimou de vez o filme do técnico Eduardo Hungaro com a torcida. Ele, no entanto, não é considerado o único culpado pelo fracasso do Alvinegro até o momento na atual temporada. Algumas apostas feitas pela diretoria também estão em situação delicada e vivem momentos de incerteza em General Severiano.

A realidade é que poucos se salvaram do fiasco do Botafogo na Libertadores e Campeonato Carioca. Jefferson é unanimidade e Tanque Ferreyra conseguiu com gols decisivos e principalmente muita disposição provar sua condição de titular. Outros, no entanto, não gozam do mesmo prestígio e terão que suar a camisa para reconquistar os torcedores.

Julio Cesar, Marcelo Mattos, Jorge Wagner e Wallyson se encaixam neste grupo. O lateral esquerdo cometeu o pênalti que culminou na derrota para o Unión Española-CHI, em pleno Maracanã, e foi muito vaiado. O caso do volante é mais antigo, já que não conta com a simpatia das arquibancadas a longo tempo.

Já o camisa 10 sofre com o peso de substituir Seedorf. Jorge Wagner até mostrou condição de ajudar, mas esteve longe de ser decisivo como foi o holandês enquanto vestiu a camisa do Botafogo. Wallyson, por sua vez, foi decisivo para o Alvinegro na pré-Libertadores, quando marcou três gols diante do Deportivo Quito-EQU. Ele, porém, caiu de produção e passou a ser contestado pelos torcedores.

Apesar da irritação da torcida, o Botafogo não deverá passar por grandes reformulações até o final do ano. Em grave crise financeira, o Alvinegro decidiu manter o técnico Eduardo Hungaro até a Copa do Mundo. Isso porque o clube não tem dinheiro para contratar um treinador experiente neste momento e precisaria das receitas desbloqueadas para fazer tal investimento.

O problema é que o desbloqueio só ocorrerá com a volta do Botafogo ao Ato Trabalhista ou a implementação do Proforte, programa de refinanciamento das dívidas. O Alvinegro está otimista que uma das duas opções aconteça até a Copa do Mundo, que termina em julho. Caso isso ocorra e o panorama não tenha mudado, a diretoria deverá fazer uma troca no comando.

Fora da Libertadores e do Campeonato Carioca, o Botafogo ficará sem jogar até dia 20 de abril, quando fará sua estreia no Brasileiro, diante do São Paulo, no Morumbi. Para esse jogo, o Alvinegro terá o reforço de Zeballos e, muito provavelmente, de Emerson Sheik, que deve chegar ainda essa semana.

Fonte: UOL