O Botafogo sacramentou a classificação às semis da Copa da do Brasil ao vencer o Atlético-MG por 3 a 0. Autor de um dos gols na partida, Gilson entrou no lugar de Roger no fim do jogo, quando o Galo estava melhor em campo.

“Muitas vezes eu entro faltando 15 minutos para acabar a partida, com a função de ajudar o Victor (Luis) na marcação. A minha primeira função era essa: ajudar o Victor. Mas, consegui cumprir essa função e fui feliz ao marcar um gol. Bati bem na bola e ajudei o Botafogo a conseguir essa classificação”.

Gilson, entretanto, nega que seja o novo “coringa” do técnico Jair Ventura e ressalta o poder de união do Botafogo, que, segundo ele, é a força do time.

“Não (risos). Todos nós do grupo somos os coringas. O Jair Ventura passa confiança para todos do grupo. Acho isso que nos dá mais força ainda. Nossa equipe é muito disciplinada. É difícil a equipe adversária criar jogadas contra a gente. Assim nós vamos crescendo e buscando mais vitórias”.

Gilson tem 15 gols na carreira e dois com a camisa do Botafogo. Quando questionado se o tento diante do Atlético-MG, na última quarta-feira (26), foi o mais importante, o lateral não titubeou.

“Foi o mais importante da minha carreira, com certeza. Mesmo sendo um lateral, já fiz muitos gols.

Fonte: Esporte Interativo