O Botafogo passará por uma reformulação considerável de seu elenco para 2019. Se ainda não há muitos jogadores ventilados para chegar, para sair, somando fins de empréstimos, contratos encerrados, aposentadoria (de Jefferson) e possíveis vendas, são diversos nomes. E há uma nítida prioridade para contratações: meia de ligação, ou até no plural.

Nesta temporada, o Glorioso conquistou o Carioca Carioca em um período no qual Renatinho parecia que iria engrenar, sobretudo após o meia, destaque do Paraná na última Série B, ter marcado um dos gols do time de Alberto Valentim em uma das finais contra o Vasco. De lá para cá, contudo, dá para afirmar que apenas Valencia termina o ano com saldo positivo, justamente atuando por dentro sob o comando de Zé Ricardo – embora seja perseguido por parte da torcida.

Contra o Atlético-MG, na despedida da temporada, Marcos Vinícius teve a oportunidade de iniciar entre os 11. Marcos, no entanto, mostrou que a sequência de lesões tem prejudicado – e muito – o desenvolvimento de seu potencial. Só atuou em 16 partidas no ano, mas tende a ficar no clube, diferente de Renatinho e João Pedro.

João Pedro, aliás, foi contratado muito por ter feito bons jogos ao lado de Renatinho, na já citada campanha de acesso do Paraná. Emprestado pelo Atlético-PR, também pôde fazer a função de ponta direita. O fato é que passou ainda mais longe de Renatinho e frustrou em todas as oito chances – sendo que passou por Alberto Valentim, Marcos Paquetá e Zé Ricardo.

Em entrevista exclusiva ao LANCE!, cuja publicação integral se deu na última sexta-feira, Zé Ricardo ratificou que a montagem do elenco para o ano que vem passa pela contração de um meia de ligação, até para os centroavantes não sofrerem como sofreram em 2018 para irem à rede. Renatinho e João Pedro não terão seus empréstimos estendidos.

– A gente precisa ainda de um meia, de um homem de ligação – comentou o treinador, completando:

– Num determinado momento, ficamos quatro, cinco rodadas sem um meia de ligação e o centroavante sofre sem esse jogador (meia). Ficamos muito tempo com jogadores de características mais defensivas.

Como apenas Valencia, Marcos Vinícius e Leandrinho – este com apenas 30 minutos na temporada – aparecem como articuladores atualmente, a diretoria do Botafogo, ainda sem citar nomes, terá que ser criativa e antenada em “boas oportunidades de mercado”, como costuma citar Anderson Barros, gerente de futebol, para ter um time bem mais competitivo em 2019.

NÚMEROS DOS MEIAS EM 2018

LEO VALENCIA
Jogos: 49 / Gols: 5 / Assistências: 11

RENATINHO
Jogos: 31 / Gol: 1 / Assistência: 1

JOÃO PEDRO
Jogos: 8 / Gols: 0 / Assistências: 0

LEANDRINHO
Jogo: 1 / Gols: 0 / Assistências: 0

MARCOS VINÍCIUS
Jogos: 16 / Gol: 1 / Assistência: 1

Fonte: Terra