Souza (aquele!) revela para quem torcerá: ‘Por incrível que pareça, pelo Botafogo’

Compartilhe:

Souza é um daqueles jogadores da época romântica do futebol. Gosta da polêmica, da provocação sadia e sai do discurso fácil de ganhar os três pontos ou de time que está unido. Autor do gol que deu o último título carioca ao Vasco, em 2003, o centroavante, que hoje joga no Paysandu e é contumaz carrasco dos alvinegros, surpreende ao dizer para quem está torcendo nesta final do Carioca.

“Por incrível que pareça, desta vez estou torcendo para o Botafogo. Eu sou Flamengo e o Vasco tirou o meu time do Carioca. Além disso, tenho dois bons amigos no Botafogo, que são o Bill, que jogou comigo no Corinthians, e o Marcelo Mattos, no Panathinaikos, da Grécia”, afirmou o artilheiro, que criou a comemoração do chororô para provocar os alvinegros logo após a polêmica decisão entre Botafogo e Flamengo, na Taça Guanabara, em 2008.

Quando fez o gol do título do Vasco, Souza estava com 21 anos e tinha sido contratado ao Madureira com o amigo Léo Lima, justamente o autor do cruzamento de letra que entrou para história do Carioca de 2003. Apesar da rivalidade incentivada por ele mesmo, Souza garante ter boas recordações daquele jogo.

“Tenho lembranças bacanas daquela época. A rapaziada era boa. Estava subindo para os profissionais e o gol foi muito importante para a minha carreira”, admite o atacante, de 33 anos, que jogou também por Flamengo, Goiás, Corinthians, Bahia e Marítimo, de Portugal.

Uma frase polêmica, da qual garante não se arrepender, é responsável pela antipatia dos vascaínos, que não perdoam sua passagem e declarações de amor ao arquirrival Flamengo:

“Já me pararam mais na rua por causa desse gol. Desde que falei que era Flamengo e que nem lembrava que tinha pisado no Vasco, não ficaram muito felizes comigo”, gargalha Souza.
Reencontro será no dia 9

O Botafogo e Souza já têm data definida para um reencontro: será no dia 9 de maio, em Belém, no estádio Mangueirão, às 21h, na estreia do time carioca no Brasileiro da Série B. O primeiro passo do sonho de voltar à Série A será justamente contra o Paysandu, time que o atacante defende atualmente.

Souza garante não ter uma rivalidade especial com o Alvinegro, mas destaca que costuma dar sorte nas vezes em que se enfrentaram. Ele espera que as coisas agora não sejam diferentes: “Costumo dar sorte. Se bobearem, posso deixar o meu golzinho e ajudar o Paysandu.”

Além de Souza, o Botafogo vai reencontrar um velho conhecido na partida de estreia na Série B. O Paysandu também acertou a contratação do volante Fahel, que estava no Bahia até o ano passado. O jogador atuou no Botafogo de 2009 a 2011, mas não era dos mais queridos pela torcida. No Bahia, marcou dois gols no Alvinegro.



Fonte: O Dia Online
Comentários