Status online: líderes do Bom Senso trocam até 180 mensagens diárias por protestos

Compartilhe:

São cerca de 180 mensagens trocadas diariamente. Assim, os líderes do Bom Senso F.C. dão prosseguimento ao movimento que visa garantir mudanças no futebol brasileiro desde o calendário até as questões administrativas. A troca de ideias é constante. Através do aplicativo Whatsapp, os atletas acabam por decidir o rumo das reivindicações.

– São várias mensagens por dia. Por ali, a gente tem as ideias e marca as reuniões para tomar as decisões. São dois grupos no whatsapp. Há alguns que apenas leem e não expressam suas opniões, mas repassam aos atletas dos seus clubes o que foi debatido. Por esses grupos, a gente debate e também avisa a todos – diz Edu Dracena, capitão do Santos.

A turma do debate online é grande. De acordo com Paulo César, ex-jogador de Fluminense e Paris Saint- Germain, são entre 50 e 60 atletas envolvidos na troca de mensagens. Os temas são os mais variados, mas PC assegura que pela forma de pensar parecida dos jogadores a discussão acaba sempre sendo resolvida de uma forma tranquila. 

– O fulano de tal fala que precisamos parar o campeonato. Outro coloca o contraponto de que não seria interessante para não prejudicar clubes que possam estar em alguma disputa. Aos poucos vamos afunilando as opiniões. Mas há muitos jogadores que falam da mesma maneira. Não é tão difícil decidir porque todos já estão acompanhando o processo e as notícias. Queremos respeitar o espaço de cada um, sem invadir. A gente não pode ultrapassar o nosso limite – revela Paulo Cesar.

Nos grupos, os jogadores também comentam sobre os protestos que serão realizados antes dos jogos e combinam as ações. Nesta rodada, três jogos já tiveram protestos. Jogadores de Vasco x Cruzeiro e Atlético-MG x Goiás sentaram em campo antes de a bola rolar. Já no duelo entre Criciúma e Vitória houve cerca de um minuto de troca de passes sem “jogo valendo”. A disponibilidade de acesso em qualquer lugar acaba por agilizar quando algo tem de ser modificado no último momento.

Mas, quando não há mais tempo, os líderes tomam à frente. Na partida entre São Paulo e Flamengo, por exemplo, o árbitro Alício Pena Júnior chamou os capitães Rogério Ceni e Léo Moura para avisar que daria cartão amarelo para todos os atletas em campo caso eles cruzassem os braços após o apito inicial. O goleiro são-paulino logo agilizou uma solução: tocar a bola de um campo a outro.

– Essa foi uma ação específica do Rogério Ceni – revelou Paulo César.

Apesar da união e do desejo de mudanças, Edu Dracena garante: o objetivo não é brigar com a CBF ou com qualquer entidade. A ideia do movimento é somente assegurar um espetáculo melhor para todos os envolvidos.

– Nosso desejo é que os pontos que a gente colocou pra CBF aconteçam. Vamos insistir, mas em nenhum momento iremos brigar. Estamos conversando com as entidades tentando mudar para um futebol melhor e um espetáculo melhor pro torcedor – assegurou Dracena.

Bom Senso Botafogo e Portuguesa (Foto: Thales soares)
Bom Senso em protesto antes de Botafogo e Portuguesa (Foto: Thales soares)


Fonte: Globoesporte.com
Comentários