Thiago Carleto elogia nova bola da Série B e projeta gols de falta pelo Botafogo

Compartilhe:

Após ter perdido o título do Campeonato Carioca para o Vasco da Gama, o Botafogo iniciou a semana com o pensamento total no Paysandu, primeiro adversário do clube na Série B de 2015. O que mudou também nos treinamentos do Glorioso foram as bolas, que passaram a ser as que já serão utilizadas na competição nacional. Quem gostou da mudança foi o lateral-esquerdo Thiago Carleto. Acostumado a bater faltas, ele já adiantou que, pelas características da nova bola, pretende ser mais eficiente do que foi no Estadual:

“A Série B começou antes do primeiro jogo. Estávamos treinando aqui com a bola nova. Ela é totalmente diferente da do ano passado. Uma bola pequena, e balança muito, os goleiros terão muitas dificuldades. Fiz gols de falta no Avaí, vários passes de bola parada. Até brinquei com o professor René. Falei: ‘Professor, agora não adianta você me pedir para parar, vou treinar um pouquinho mais’. (risos). Realmente decide jogo. Falta de mais pertinho eu vou dar uma porrada, porque essa bola, se acertar no gol, o goleiro não pega não (risos). Ela dança para caramba, que bola diferente. Com o treinamento a gente aprimora. Não preciso nem fazer o gol, mas tomara que no final eu seja o maior assistente da Série B”, declarou.

Em seguida, Carleto falou sobre as dificuldades que o Botafogo vai encontrar atuando na Série B. Ele, que ano passado jogou a competição com o Avaí e conquistou o acesso, disse que o Gloriosos será o time a ser batido dentro desta edição, e por este motivo a dificuldade fica ainda mais elevada.

“O Botafogo é o time a ser batido, todo mundo, por tudo aquilo que nós fizemos no Campeonato Carioca, vão querer tirar pontos da gente, tanto aqui (no Nilton Santos), quanto fora. Eu nunca tinha disputado (a Série B), joguei ano passado e já fui feliz em subir. Mas é que, por exemplo, na parte tática do jogo, você pega um time da Série A, Grêmio, Inter, são equipes que, teoricamente, deixam você jogar um pouco mais. Te atacam muito, mas tem seus jogadores pontuais. O Nilmar, se deixar sair em velocidade, vai fazer o gol. Na Série B você não encontra isso. Às vezes você encontra três torres de zagueiros lá atrás, dois pequenininhos lá na frente correndo, e o restante são os caça-craques. O jogo inteiro é pancada, porque eles jogam por uma bola, uma bola na área”, completou.

O Botafogo entra em campo neste sábado a partir das 21h00 (de Brasília) no Estádio Mangueirão, em Belém do Pará, contra a equipe do Paysandu.



Fonte: FutNet
Comentários