Além da posição delicada na tabela do Campeonato Brasileiro, outro fator que vem atrapalhando o Botafogo desde o retorno da Copa do Mundo são os atacantes. Até aqui, o treinador Zé Ricardo ainda não encontrou a solução para fazer a função render dentro de campo.

Desde a sua chegada, Zé Ricardo comandou o Botafogo em oito jogos e teve três atacantes diferentes iniciando como titulares. Rodrigo Aguirre começou a ‘Era Zé’ como titular, jogou três vezes, e saiu. Depois, foi a vez de Brenner, que também participou de três duelos e não conseguiu convencer, até chegar a vez de Kieza, que esteve em campo contra Cruzeiro e Fluminense.

Nenhum dos três, porém, conseguiu fazer diferença para a equipe de Zé Ricardo, que vem repetindo uma base nas outras posições nos últimos jogos. De todos, Aguirre – em tese – se mostrou como o melhor, já que foi o único a marcar um gol no período, contra o Sport. Brenner e Kieza ainda não balançaram as redes.

O desempenho na posição do ataque é ruim e o desempenho dos atacantes mostra que isso dificilmente será mudado. Nos últimos oito jogos, apenas um gol de atacante foi marcado. Sob o comando de Zé Ricardo, Rodrigo Lindoso, que marcou duas vezes, é o artilheiro, enquanto que Luiz Fernando, enquanto que Valencia, Luiz Fernando e Carli balançaram a rede em uma oportunidade.

Formação com Erik e Luiz Fernando
Com a chegada de Erik, Zé Ricardo parece ter achado uma formação com dois jogadores de lado, contando com o atleta emprestado pelo Palmeiras e Luiz Fernando. Pelo o que mostrou até aqui, a preferência do treinador é contar com um atacante que permaneça mais dentro da área para acompanhar os outros atletas.

Kieza, com 168 minutos jogados desde a chegada de Zé, foi o jogador que participou dos dois duelos com a formação com três homens no meio-campo e Luiz Fernando e Erik abertos. Nesse período, o balanço do artilheiro do Botafogo no Campeonato Brasileiro é de seis finalizações – com duas indo na direção do gol – e oito faltas sofridas.

Brenner, por sua vez, tem 289 minutos em campo desde que Zé Ricardo assumiu como treinador e três finalizações em três partidas iniciadas como titular. O atacante se mostra importante saindo da área e fazendo pivô, mas não consegue repetir o desempenho quando o assunto é finalização. O último gol marcado pelo atleta foi contra o Grêmio, no dia 28 de abril.

Fonte: Terra