Dentro de campo o meia Tomas pode até mostrar desenvoltura, agora em frente às câmeras a situação muda. A aversão aos holofotes fez o jogador pedir privacidade ao clube no dia seguinte ao clássico. Natural de Araguaína, no Tocantins, Tomas reservou o pós-jogo a sua família que veio ao Rio especialmente na semana do clássico. Morando na Zona Oeste da cidade, o jogador confessa que ainda passa despercebido entre os torcedores.

— Ainda consigo sair com tranquilidade. Poucas pessoas me conhecem. Mas com o tempo, com mais entrosamento e tendo sucesso aqui no Botafogo, as pessoas vão me conhecer — promete.

Sobre o processo que o levou ao Botafogo, Tomas falou abertamente do interesse do Vasco da Gama em seu futebol. O camisa 11 lembrou que houve uma conversa do Cruz-Maltino com seu empresário, mas a insistência do técnico René Simões o fez acertar com o Botafogo.

— Fiquei sabendo sim (do interesse do Vasco). Eles conversaram com o meu empresário. Mas, antes de tudo, prevaleceu muito a amizade que o René tem com o meu representante. Isso pesou para acertar com o Botafogo — avaliou.

Satisfeito com seu início no Alvinegro, Tomas se diz feliz em ter acertado com o clube.

— Acho que eu fiz uma boa escolha. Quando cheguei aqui fui muito bem recebido. Não só pela comissão técnica, mas pela diretoria também e pelos jogadores.

Fonte: Extra Online