O Botafogo venceu o América-MG por 1 a 0 neste domingo (16), no Nilton Santos, com gol de Rodrigo Lindoso. Foi a primeira vitória do técnico Zé Ricardo em três partidas – o clube havia vencido apenas um dos últimos nove jogos anteriores. Após a duelo, o treinador elogiou a atuação de seus comandados e reafirmou o objetivo de afastar o clube da zona de rebaixamento.

“Foi fundamental a vitória, sabíamos que não seria fácil. Só viriam os três pontos se fizéssemos um bom jogo e colocasse o nível mais alto de competitividade”, avaliou. “Conversamos que o América ia aguardar o nosso erro. Merecemos sair com a vitória no primeiro tempo. Poderíamos fazer mais gols. No segundo tempo, a equipe deles se tornou mais agressiva, ofereceu espaços que não aproveitamos. O América tentou o empate e nós tentamos administrar a pequena vantagem.”

Os atletas do Botafogo conseguiram cumprir o objetivo. Com o triunfo, o clube foi a 29 pontos no Brasileiro, subiu para a 11ª posição da tabela e se afastou da degola. A pressão fez um torcedor chegou a jogar sal grosso no corredor que leva os atletas ao vestiário para tentar “afastar a zica”. Zé Ricardo, que também quebrou outro tabu e venceu sua primeira partida disputada de manhã, brincou com a situação.

“Não sei se tabu serve para ser quebrado ou inventado, mas, em Curitiba, sofremos o empate aos 51 minutos numa bola que desviou no Rabello. Agora esse jogo. A hora que fosse a gente precisava vencer. O sal grosso acho que veio no momento certo (risos)”.

Apesar do otimismo e do tom de brincadeira, Zé Ricardo sabe que o caminho ainda é longo. “O momento do Botafogo continua difícil. Temos uma missão de tirar o clube dessa situação incômoda, que está longe de ser confortável. Precisamos nos afastar daquelas posições da parte de baixo da tabela. Precisamos de regularidade no nosso jogo”.

Antes de voltar a campo pelo Brasileiro, no próximo domingo, contra o Vitória, o elenco do Glorioso volta as atenções para a Sul-Americana. O time enfrenta o Bahia na Arena Fonte Nova na quinta-feira, pelo jogo de ida das oitavas de final.

“Vamos estudar bem a equipe do Bahia, não tem uma regra, sabemos que eles são muito fortes em Salvador. Trazer para o Nilton Santos uma condição de classificação”,

Confira outros assuntos abordados pelo treinador na coletiva:

Apoio da torcida no jogo matutino
“Realmente estávamos com público bem menor. Não é uma relação padrão, temos que jogar bem com qualquer que for o público, mas a energia é outra. Durante a semana, nos treinos, observamos a movimentação da torcida. Jogadores entrando e saindo do estádio percebem que vai ter público legal, isso vai contagiando. É um horário gostoso. Às vezes sofremos, porque quando está muito quente cai o rendimento do jogo. Certamente que a presença da torcida traz todo um clima para que a gente possa melhorar a nossa performance.”

Expulsões no fim
“Houve uma bola que caiu próxima do nosso campo. Luan e alguns jogadores trocaram algumas palavras não muito agradáveis. Disse ao Luan: ‘Calma, calma’. O auxiliar escutou, comunicou-se com o árbitro, que expulsou os dois jogadores. O América acabou mais prejudicado e acabou ficando mais tranquilo para administrarmos no fim da partida.”

Elogios a Luiz Fernando, um dos melhores em campo
“Quando a gente recebe estrangeiros, fala em adaptação. Não é diferente com jogadores daqui também. O Luiz é tímido, temos conversado com ele que a timidez dele não vai mudar, mas que em campo possa se soltar. Com mais volúpia e mais personalidade no sentido bom da palavra, pode agregar a ele a condição de crescer na carreira. Acho que ele está entendendo. Fez partida em excelente nível, não fosse a pancada no joelho, ele terminaria o jogo. Ele tem muito a crescer fisicamente e tecnicamente.”

Má fase de Kieza
“Kieza foi artilheiro em todos os lugares que passou praticamente. Daqui a pouco a bola começa a entrar. Temos outras opções, o Aguirre, que entrou hoje, o Brenner. Queríamos ele um pouco mais por dentro. Confio muito no nosso grupo.”

Fonte: UOL