Torcida ‘decepciona’ e Bota quer reduzir taxa por jogos no DF

Compartilhe:

O Botafogo não está satisfeito com o número de torcedores que vai ao Maracanã em dia de jogos do clube. Apesar de não admitir tal frustração abertamente, o clube já negocia com o Governo Federal um desconto na taxa cobrada para se exibir no estádio Mané Garrincha, em Brasília. O objetivo da diretoria é levar algumas partidas da equipe para a capital federal e ter maior lucro que o obtido no confronto com o Goiás, há cerca de duas semanas: R$ 500 mil.

A decepção do Botafogo não foi por causa do público da partida contra o Atlético-MG, em vitória por 3 a 2 pelo jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil. Pelo contrário. Pouco mais de 20 mil botafoguenses prestigiaram a equipe, número considerado razoável pelos dirigentes – teve renda de R$ 669 mil. Porém, a diretoria acredita que pode ter maior apoio jogando em Brasília, onde teve seu recorde com 23 mil pagantes.

Abertamente, no entanto, o discurso é de agradecimento à torcida. E de fato há esse sentimento em relação aos botafoguenses que têm ido ao estádio. A insatisfação ocorre com a grande parte que não tem apoiado a equipe da maneira esperada. Enquanto o técnico Oswaldo de Oliveira novamente elogiava o comportamento dos torcedores, alguns dirigentes, nos bastidores, reclamavam da baixa presença nas arquibancadas.

“A preferência é que os jogos sejam realizados no Rio, perto de nossa torcida. O Maracanã sempre foi a casa do Botafogo e continuará sendo. Não tenho dúvidas que a presença dos botafoguenses no estádio ajudará o clube na manutenção da boa campanha”, disse o presidente do Botafogo, Maurício Assumpção, através da assessoria do consórcio.

O Botafogo, atualmente, soma cerca de 10 mil sócios, que têm direito de retirar ingressos gratuitos em postos de troca. Segundo apuração do UOL Esporte, pouco mais de dois mil torcedores exerceram seu direito e foram apoiar o Alvinegro no Maracanã nesta quinta-feira. Cerca de oito mil, por outro lado, preferiram não pegar suas entradas.

Os jogos que poderão ser realizados em Brasília são os clássicos contra Flamengo e Vasco, em outubro. Estas partidas, inclusive, estavam pré-agendadas para o Mané Garrincha antes mesmo do Botafogo assinar por 35 anos com o Maracanã. Porém, a taxa cobrada pelo Governo para jogar na capital brasileira foi considerada alta pela diretoria, que recuou.

No entanto, a ideia de mandar os clássicos em Brasília voltará a ganhar força caso o Botafogo consiga uma redução na taxa. O Alvinegro está ciente que se trata de um decreto, mas acredita na possibilidade da queda do preço por se tratar de uma boa possibilidade de ganho financeiro. Por outro lado, a recente declaração do presidente da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), José Maria Marín, preocupado com excesso de jogos no estádio, poderá se tornar um empecilho para que o desejo do clube se realize.



Fonte: UOL
Comentários