Após passagens de pouca expressão por Palmeiras e Atlético-MG, o atacante Erik parece ter se encontrado no Botafogo. Com um gol e três assistências, em sete jogos pelo Glorioso, o jogador caiu nas graças da torcida botafoguense. Para Augusto César, técnico que o revelou no Goiás, o bom momento de Erik não é surpreendente. O treinador acredita que o atacante ajudará muito o Botafogo.

“Não é surpresa nenhuma a forma como o Erik tá jogando nesse começo pelo Botafogo. Ele é extremamente rápido, tem muita qualidade técnica e de finalização. Então, eu creio que ele vai ajudar a equipe. Ainda mais com o entrosamento com os companheiros. O Erik vai ajudar o Botafogo a conquistar as coisas que o clube almeja”, disse Augusto César.

Erik chegou ao Botafogo depois de passagens ruins por Palmeiras e Atlético Mineiro. Na equipe paulista, o atacante chegou a ser chamado de “magrelo burro” pelo jornalista Felippe Facincani, atualmente no Fox Sports, em áudio que viralizou no WhatsApp, em 2016. Augusto César acredita que a idade e a falta de minutos em campo prejudicaram Erik. Além disso, o treinador afirma que o atacante foi escalado fora de função nas duas equipes.

“É a primeira vez ele saiu e logo tão novo, para um gigante do Brasil como o Palmeiras e também o Atlético Mineiro… Não teve uma sequência boa de partidas. Acho que a falta de paciência por não ser tão experiência gerou umas dificuldades. Ele não jogou a quantidade de jogos necessária para render todo o potencial dele. Mas acho que serviu de experiência. Agora, no Botafogo, eu espero que ele possa a fazer gols e ser artilheiro, como na Copa São Paulo, ajudando o Goiás”, afirmou Augusto César.

“O Erik é um atacante que usa bem os espaços. Ele não é um jogador de ficar na beirada de campo, pois ele fica mais fácil de ser marcado. Ir para o mano a mano dificulta um pouco a ele. Como segundo atacante ou como alguém partindo do lado para dentro, flutuando, ele joga melhor. Com isso, ele se movimenta bem, penetrando nas linhas. Por isso, é a melhor função dele”, concluiu o técnico.

Em passagem pelo Botafogo, Augusto César sofreu com crise financeira do clube

Assim como o pupilo Erik, o técnico Augusto César também passou pelo Botafogo. O ex-lateral esquerdo chegou ao Alvinegro vindo do Corinthians, em 2000. Em um ano e sete meses de Glorioso, Augusto sofreu com os problemas financeiros do clube na época. Com isso, o ex-defensor aceitou o convite de Zico para assinar com o Kashima Antlers (JAP). Mesmo que tenha passado por algumas dificuldades, Augusto César fala com carinho do Botafogo.

“Não tive uma passagem muito boa. Estávamos com cinco, seis meses de salários atrasados. Vim do Corinthians como campeão brasileiro e mundial e não conseguimos títulos pelo Botafogo. Cheguei a ser emprestado ao América Mineiro e depois voltei. Logo depois, o Zico, que era diretor do Kashima Antlers, me fez um convite pra assinar com eles”, afirmou Augusto César.

“Apesar dos problemas financeiros, é um clube que eu gosto. Minha esposa e meus cunhados são botafoguenses ferrenhos. E quando o Erik foi para aí, eles ficaram muito contentes. Eles conheciam o Erik do Goiás e ficaram muito felizes por ele. Ainda mais com a possibilidade dele ajudar o Botafogo. A minha passagem não tem grandes recordações, mas fiz grandes amigos e também torço pelo clube”, concluiu o técnico.

Fonte: Esporte 24 Horas