Muitos treinadores costumam “recortar” o Brasileiro para aderir metas. Já Zé Ricardo, no Botafogo, é adepto ao discurso de “jogo a jogo”, mas o fato é que o time alvinegro, depois de empatar com o então líder São Paulo, terá uma sequência de quatro jogos diante de postulantes à briga contra a queda.

O primeiro desafio será contra o Vasco, o 16º colocado, com 30 pontos, nesta terça-feira, no Nilton Santos, o mesmo palco que presenciou a eliminação do Botafogo na Sul-Americana há três dias. O resultado do Clássico da Amizade pode dizer muito a respeito do perfil dos próximos três compromissos: Ceará, o 15º colocado, com 30 pontos (fora), Bahia, o 14º colocado, com os mesmos 30 pontos (casa), e Atlético-PR, o 11º colocado, com 33 pontos (fora).

Assim como o Vasco, todos os outros, com mais ou menos folga, estão com o sinal amarelo ligado e na chamada “zona de confusão” – termo utilizado inclusive por Zé Ricardo. E no bolo está o Botafogo, hoje com 33 pontos, a quatro do Z4, e na 12ª posição. Hora de responder à queda da Sul-Americana e descolar com os confrontos diretos.

– Todos os jogos são importantes, com times da parte de cima ou da parte de baixo da tabela. Já tínhamos feito isso (bom rendimento) contra o Cruzeiro, que briga lá em cima. Um jogo de cada vez para a gente se afastar da zona de rebaixamento e, quem sabe, classificar de novo à Copa Sul-Americana. Temos time para isso, mas vamos jogo a jogo – disse Zé Ricardo.

Primeiro neste recorte decisivo, o jogo contra o Vasco será válido pela 28ª rodada do Brasileirão. É bom citar que, se pegarmos o mesmo período de quatro duelos quanto às últimas rodadas, o saldo é positivo e serve até de inspiração: duas vitórias, um empate e uma derrota.

Fonte: Terra