Botafogo e Atlético-PR se enfrentam nesta quarta-feira, às 21h (horário de Brasília), no Nilton Santos (Engenhão). As equipes entrarão em campo com algo em comum: ambas estão insatisfeitas com os trabalhos de seus treinadores. Alberto Valentim tem sido questionado por parta de diretoria, mas Fernando Diniz vive situação ainda mais delicada, apesar de contar com apoio da diretoria, que garante que ele dificilmente seja demitido do Furacão.

Fernando Diniz tem 27,3% de aproveitamento com uma vitória, um empate e oito derrotas nos últimos 10 jogos. O treinador tem quatro vitórias, quatro empates e oito derrotas desde que assumiu o time. O Atlético-PR foi campeão estadual, mas jogou a competição com elenco e treinador diferentes. Diniz, por outro lado, apenas treinava o grupo principal para o Brasileiro.

Diniz foi uma escolha de Mario Celso Petraglia para um cargo que Valentim desejou e tentou obter na virada do ano.

Lateral-direito com duas passagens pelo Atlético, Alberto, como era conhecido, fez parte do memorável time de Oséas e Paulo Rink e foi o melhor lateral do Brasileiro 1996. Encerrou a carreira no Furacão, em 2009, e, no mesmo Atlético, começou como treinador, mas como auxiliar, em 2013. Chegou a dirigir o time principal em um clássico ‘Atletiba’ naquele ano, mas nunca teve sequência.

Saiu para ir ao Palmeiras, onde teve sua primeira chance. Na virada do ano, quando já sabia que não ficaria mais no Alviverde, Valentim tentou convencer Petraglia de que poderia ser o treinador que o Atlético procurava. O clube conversava com Seedorf – outro ex-botafoguense –, mas acabou optando por Fernando Diniz que, mesmo dentro da zona de rebaixamento e recebendo vaias da torcida em todos os jogos, segue firme no comando, segundo Petraglia.

Alberto Valentim assumiu o Botafogo após a vexatória eliminação para a Aparecidense-GO, na primeira rodada da Copa do Brasil. O início foi animador e o treinador conquistou o Campeonato Carioca em cima do Vasco. A expectativa para o Campeonato Brasileiro, consequentemente, ficou mais alta. E isso foi determinante para o decepcionante momento que atravessa o Alvinegro.

No geral, Valentim acumula 24 jogos pelo Botafogo e tem um aproveitamento de 51,3% dos pontos disputados. Isso não impede que o profissional esteja sendo cobrado por parte da diretoria, que vê um retrocesso no futebol apresentado pela equipe. Isso sem contar os tropeços diante de América-MG, Vitória e Ceará – dois últimos em casa.

Se Valentim está na berlinda com números melhores aos que tem Diniz, o técnico atleticano está confortável com o apoio do presidente atleticano: “Só sai se quiser”, reafirmou Petraglia em nova entrevista nesta semana. O Atlético precisa de uma vitória sobre o Botafogo para tentar deixar a zona de rebaixamento antes do recesso para a Copa do Mundo. Na última coletiva de imprensa, questionado se deixaria espontaneamente o comando do time, Diniz afirmou: “Não vou desistir”.

Em declaração ao canal oficial do Atlético, Fernando Diniz tratou de elogiar o time de Valentim: “Empatou com o Bahia com um a menos no segundo tempo inteiro, em alguns jogos em que perderam pontos jogaram melhor que o adversário, é um time muito bem armado pelo Alberto”, afirmou Diniz.

BOTAFOGO X ATLÉTICO-PR

Data e hora: 13/06/2018, quarta-feira, ás 21h (horário de Brasília)
Local: Nilton Santos (Engenhão), no Rio de Janeiro (RJ)
Arbitro: Rodrigo Batista Raposo (DF)
Auxiliares: Daniel Henrique da Silva Andrade e Luciano Benevides de Sousa (DF)

Botafogo
Jefferson; Marcinho, Marcelo, Rabello e Moisés; Lindoso, Matheus Fernandes, Léo Valencia e Rodrigo Pimpão; Kieza e Brenner (Renatinho ou Luiz Fernando)
Técnico: Alberto Valentim

Atlético-PR
Santos; Wanderson, Thiago Heleno e Zé Ivaldo (Pavez); Marcinho (Jonathan), Lucho González (Matheus Rossetto), Camacho e Thiago Carleto; Raphael Veiga, Bergson e Pablo.
Técnico: Fernando Diniz

Fonte: UOL