A concentração para a final do Campeonato Carioca é assunto sério entre os envolvidos na decisão. De olho no título que não conquista desde 2003, o Vasco antecipou a apresentação dos jogadores no hotel que serve de base para a delegação para sexta-feira. O Botafogo, por sua vez, estará reunido na noite deste sábado. E com os árbitros responsáveis para apitar o duelo não será diferente.

Repetindo uma prática adotada desde 2008 pela Comissão de Arbitragem de Futebol do Rio de Janeiro (Coaf-RJ), os juízes da partida do próximo domingo concentrarão em um hotel na orla da praia do Recreio dos Bandeirantes, zona oeste da cidade, a partir das 12h deste sábado.

Luis Antônio Silva Santos (árbitro principal), Wagner Almeida Santos (auxiliar nº 1), Silbert Faria Sisquim (auxiliar nº 2), Pathrice Wallace Correia Maia (quarto árbitro) e Philip Georg Bennett (quinto árbitro) se reunirão para o almoço.

No final da tarde, está prevista a “apresentação de vídeos sobre erros e acertos na competição e estudo das táticas das equipes envolvidas, bem como características individuais dos jogadores que estarão disputando a mesma”.

A ideia da comissão de arbitragem é deixar os árbitros preparados para possíveis lances duvidosos e evitar confusão com jogadores de histórico polêmico.

O quinteto passará a noite no hotel e, no domingo, seguirá a logística semelhante a de jogadores que estarão em campo. O grupo deixa o local às 12h30 rumo ao Maracanã para o jogo das 16h.

Na próxima semana, Wagner dos Nascimento Magalhães (árbitro principal), Rodrigo Figueiredo Corrêa (auxiliar nº 1), Dibert Pedrosa Moises (auxiliar nº 2), Rodrigo Carvalhaes de Miranda (quarto árbitro) e Rafael Martins de Sá (quinto árbitro) repetirão a programação antes do segundo e decisivo jogo (3 de maio).

Erros recentes
Apesar de manter uma programação estabelecida desde 2008, a concentração para esta decisão visa minimizar as polêmicas que marcaram o Campeonato Carioca.

Na fase de classificação, os rivais questionaram o número elevado de pênaltis marcados para o Vasco no torneio – sete, contra cinco de todos os outros times considerados grandes somados.

Nas semifinais, mais discussões. No primeiro duelo entre Vasco e Flamengo, o árbitro João Batista Arruda não expulsou os rubro-negros Jonas e Marcelo Cirino em faltas consideradas fortes. No segundo jogo, foi a vez do time da Gávea reclamar do pênalti sofrido por Serginho que definiu a vitória por 1 a 0 dos vascaínos.

Fonte: UOL