O atacante Emerson Sheik criticou a maneira como repercutiu o selinho dado em um amigo no ano passado. O beijo foi postado pelo jogador nas redes sociais. Em chamada do Esporte Espetacular neste domingo, o agora atleta do Botafogo disse que sua sexualidade não pode ser colocada em dúvida apenas por um selinho.

“Você deixa de ser homem por causa de um selinho no irmão?”, respondeu Sheik, em chamada da matéria na rede Globo.

Dias depois do selinho, Emerson teve de se explicar a torcedores organizados do Corinthians. Na época, o atacante minimizou a polêmica, chegou a pedir desculpas a quem se sentiu ofendido e usou chuteiras com a inscrição “sem preconceito”.

Desde então, parte da torcida alvinegra pressionou Emerson nas partidas. As más atuações do atleta aumentaram a insatisfação sobretudo das organizadas.

Aliás, a relação com os torcedores uniformizados do Corinthians se deteriorou em fevereiro, quando dezenas de atletas vândalos invadiram o CT do clube para exigir melhores resultados em campo.

Emerson disse que temeu ser morto. O jogador se escondeu nas dependências do centro de treinamento e não teve contato com os torcedores.

“Surgiu um bando de bandidos com facas, escondidos com camisetas no rosto, ameaçando as pessoas de morte, inclusive eu”.

Fonte: UOL