O resultado contra o Ceará esteve muito longe do esperado pela torcida do Botafogo e pelos próprios jogadores. O inesperado 0 a 0 no placar, em duelo realizado no Nilton Santos e válido pela décima rodada do Campeonato, foi analisado pelo técnico Alberto Valentim em entrevista coletiva.

Para o comandante alvinegro, que ouviu alguns xingamentos logo depois do apito final e frisou os erros técnicos em profusão de seus atletas, a evolução só virá com trabalho árduo no dia a dia.

– Precisamos melhorar muito, trabalhar para recuperar os jogadores para evoluir já contra o Bahia. Trabalho, melhorar sempre. Hoje erramos muito na parte técnica, muito. Temos que fazer finalizar mais e que as outras equipes sofram mais aqui, principalmente.

– A gente sabe que o torcedor que veio ao estádio tem o direito de manifestar-se da forma que achar que deve. Hoje, queriam muito vencer o jogo e nos ver em vantagem. No final da partida, perdemos um jogador (Yago, que saiu de ambulância) e ficamos com um a menos, porém ainda tentamos criar chances de gol, mas não conseguimos. Precisamos recuperar pontos perdidos em casa, a começar com esse jogo contra o Bahia – completou sobre os protestos.

Valentim também sublinhou a importância de Jefferson no elenco alvinegro. O ídolo e goleiro, cabe lembrar, completou 454 jogos pelo Botafogo nesta noite, diante de pouco mais de 8 mil torcedores, e tornou-se o terceiro jogador que mais vezes defendeu o Glorioso na história.

– O Jefferson é o cara do Botafogo. É o mais representativo, um líder do elenco. Passei a faixa para ele para homenageá-lo. Queríamos dar essa vitória a ele, uma marca tão grande, simbólica, mas é uma pena que o triunfo não tenha vindo – finalizou.

Agora, como citado, o Botafogo passa a focar no duelo diante do Bahia, que ocorrerá em Salvador, neste domingo, às 16h (de Brasília).