Campeão brasileiro sub-20 pelo Botafogo, Yuri pede paciência à torcida e defende Bochecha e Marcinho

0 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Yuri, lateral-esquerdo revelado pelo Botafogo e hoje na Ponte Preta
Reprodução/Instagram

Lateral-esquerdo revelado na base do Botafogo, onde atuou na maior parte como meia, Yuri hoje está defendendo as cores da Ponte Preta. Por conta de problemas com lesões, ele não teve muitas oportunidades na equipe profissional do Glorioso – no ano passado acabou jogando mais, em 17 oportunidades.

Bolsas, mochilas e carteiras para torcedores do Botafogo na loja do FogãoNET/Estilo Piti

Yuri foi campeão brasileiro sub-20 pelo Botafogo em 2016, numa geração que tinha Gustavo Bochecha, Matheus Fernandes, Marcelo Benevenuto, Marcinho, Kanu, Fernando, entre outros. Ele lamentou a saída de Bochecha, negociado com o Juventude recentemente, e disse que a torcida alvinegra deve ter mais paciência com os jovens.

– O Bochecha sofreu com isso, com a pouca paciência. Creio que ele poderia ter mais chances agora. Um cara com o nível dele não poderia ficar fora do Botafogo. Acho que ele agregaria muito nesse time. Às vezes é um pouco de falta de paciência mesmo. Quando você joga o primeiro jogo, só volta a ter oportunidade depois de dois meses, aí é como se estivesse fazendo o primeiro jogo de novo. Ter uma sequência de jogos é totalmente diferente – comentou Yuri, em live com José Passini no Instagram.

Matheus Fernandes, Yuri e Gustavo Bochecha na final do Brasileiro Sub-20 de 2016 contra o Corinthians em Itaquera
Com Matheus Fernandes e Bochecha, Yuri comemora seu gol na final do Brasileiro Sub-20 de 2016, contra o Corinthians, em Itaquera (Foto: Vítor Silva/SSPress/BFR)

‘Na base, a torcida acha todo mundo craque’

Yuri lembrou que os garotos formados na base têm recebido oportunidades, mas reforçou a necessidade de a torcida apoiar mais os jovens revelados pelo clube.

– O Botafogo tem colocado muita gente da base, é falta de paciência da torcida mesmo. Eles estão colocando a garotada para jogar. Mas você não pode cobrar no primeiro jogo. O Rhuan, quando estreou, contra a Chapecoense, 18 anos, estava todo nervoso, aí começaram a comentar de que ele era faco… Na base a torcida acha todo mundo craque, mas depois que entra não serve mais – disse, citando o caso Matheus Fernandes:

– Lembro que diziam que o Matheus (negociado recentemente com o Barcelona pelo Palmeiras) não servia. É uma maldade falar isso para um garoto de 18, 19 anos na época. Ele sempre foi diferente. Depois que teve uma sequência de jogos, ele decolou.

Botafogo deveria ter valorizado Marcinho

Nesta segunda-feira, a principal notícia no Botafogo foi a possível negociação do lateral-direito Marcinho com o Corinthians. O jogador, convocado para a Seleção Brasileira no ano passado, vai terminar seu contrato com o Botafogo em dezembro e as negociações por uma possível renovação nunca pareceram possíveis. Para Yuri, Marcinho deveria ter sido mais valorizado.

Com o Marcinho foi o maior absurdo que eu já vi. Ele foi para a Seleção, (torcedores) entraram no Engenhão no nosso treino criticando, falando que ele tinha pagado para jogar na Seleção. Pô, um cara não cai de para-quedas na Seleção Brasileira. Era hora de a torcida ir lá e gritar por ele. E você sente que falta um pouco de valorização. Marcinho está há dois anos jogando, foi para a Seleção com 23, e na hora de renovar fica pensando se vale, se não vale… Aí me pergunto: vai serve para um clube e não serve para o Botafogo? – questionou o lateral.

Assista ao vídeo da entrevista abaixo:

Fonte: Redação FogãoNET

Notícias relacionadas