A noite desta segunda-feira, no Nilton Santos, foi de Jefferson, e, na entrevista coletiva de Zé Ricardo, logo após a vitória do Botafogo sobre o Paraná por 2 a 1, marcada pela despedida do goleiro, o tema principal foi… Jefferson.

– Nessa curta carreira, já vivi muitas emoções, passei por três times grandes, mas hoje foi uma emoção diferente. Até então, vinha convivendo tranquilo, sabendo que todos os ciclos iniciam e terminam. Quando subi antes, para acompanhar as homenagens, caiu a ficha do tamanho da representatividade do Jefferson para o clube. Me peguei emocionado como não imaginava. O único jogo dele como titular comigo foi logo o último – disse o técnico, que completou:

– Foi importante demais estar nesta reta final, desde a volta contra o Flamengo. Ajudou demais treinando, uma luz no dia a dia, ao grupo. Me sinto lisonjeado por ter sido o treinador dele neste dia tão marcante.

Por fim, Zé Ricardo também revelou que passou boa parte da última semana projetando como seria a preleção da despedida de Jefferson, que encerrou a carreira com 459 jogos pelo Glorioso. A solução, no entanto, foi simples.

– Sempre terminamos o jogo com uma mensagem especial. Durante esses últimos jogos, fiquei procurando como dar a preleção. Se tiver que falar muito dele, minha preleção iria durar mais de 30 minutos, e não os habituais 10, 12 minutos. O profissionalismo é tão grande que entendi que a melhor homenagem seria manter o foco na partida.

Com o resultado no último jogo de Jefferson no futebol, o time de Zé Ricardo passa a somar 51 pontos, e vai para a última rodada, em confronto diante do Atlético-MG, fora de casa, na 9ª colocação.

Fonte: Terra