Botafogo deve dobrar folha salarial para 2022: ‘Tentar não fazer loucura’, projeta vice-presidente

22 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Vinicius Assumpção - Botafogo
Vitor Silva/Botafogo

Com o acesso e o título da Série B garantidos, o Botafogo pode pensar com calma em 2022. Em entrevista ao “GE”, o vice-presidente do clube, Vinicius Assumpção, projetou que a folha salarial – hoje em cerca de R$ 3 milhões, incluindo encargos – deve “pelo menos” dobrar na próxima temporada, mas sem loucuras e mantendo a política de pés no chão.

– A gente ainda está fechando o orçamento, vamos enviar agora pro Conselho Deliberativo, mas eu acredito que vamos pelo menos dobrar. Vamos agir da mesma forma que agimos esse ano. Montamos um time pra jogar a Série B. O Botafogo teve um entendimento pra jogar a Série B. Não é simplesmente o peso da camisa que iria nos levar de volta, nós internamente nos fechamos pra entender esse campeonato e trazer jogadores que poderiam nos ajudar a superar esse desafio. Tentar não fazer loucura, não só loucura financeira, mas também loucura técnica – afirmou Vinicius.

O dirigente alvinegro reforçou que os primeiros meses serão de mais austeridade, já que o Campeonato Carioca não é rentável, e disse que a prioridade é manter a base do atual elenco. Vinicius, no entanto, admitiu que alguns podem não ficar. Alguns destaques com contrato no fim são Rafael Navarro, Luís Oyama, Marco Antônio e Diego Gonçalves.

Não vamos sair contratando no início do ano uma porção de jogadores. Os primeiros quatro meses vão ser difíceis financeiramente. O estadual do Rio não é rentável, então a gente tem que ter muita cautela. O setor de análise de desempenho funciona perfeitamente, aliás todos os setores estão funcionando muito bem, departamentos médico e de fisiologia também. Estamos tentando ficar com o time base, alguns nós vamos ter condições de manter e outros talvez não, porque tem valor de mercado. Há um interesse nosso, não tenho a menor dúvida em manter a base desse time – disse o vice-presidente.

Fonte: Redação FogãoNET e GE

Notícias relacionadas