Botafogo traça ‘mapa’ e planeja 4 reforços no início do ano: ‘Temos que ser responsáveis, inteligentes e criativos’, diz Freeland

151 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Eduardo Freeland, diretor de futebol do Botafogo
Reprodução/SporTV/Globoplay

O Botafogo iniciou o planejamento para a próxima temporada. Sem tantos recursos financeiros disponíveis, o clube definiu que fará poucas contratações em 2022 e, provavelmente, apenas quatro no início do ano. Foi o que revelou o diretor de futebol Eduardo Freeland, à Rádio Tupi.

Focamos muito na busca pelas renovações, pela manutenção da base. Acreditamos que estamos iniciando com uma base relativamente mantida do ano passado. Sabemos que algumas questões dificultaram muito, algumas ainda têm possibilidade, outras mais dificuldade. Nossa intenção é buscar no mercado reposições, sem extrapolar o lado financeiro, tentando elevar tecnicamente. Temos um mapa importante que estamos discutindo diariamente, tem jogadores que estamos vendo mercado e buscando. Existe um perfil específico, com estudo das últimas seis edições da Série A, ter esse parâmetro para ser o mais assertivo possível. Olhar muito para o mapa para buscar o equilíbrio. Devemos ter novidades já nos próximos dias, ter mais duas, três, quatro contratações para iniciar a temporada e ao longo do ano trazer mais atletas. Não gostaríamos de fazer como nessa temporada, que contratamos 18, queremos ser mais cirúrgicos, respeitando a questão orçamentária. Ter quatro reforços no início da temporada e cirurgicamente trazer mais para reforçar o elenco – explicou Freeland.

O diretor de futebol admitiu que o clube precisou mudar o planejamento, que previa mais investimento maior apenas para o Campeonato Brasileiro.

– Acreditamos que vai ser mais difícil, porque o gap que existe nos investimentos da Série B e A são maiores. Quem está subindo tem outro dificultador, não só essa janela de registros que vai até abril, quem sobe vem sem receita e tem que planejar contra outras 16 equipes que já estão com orçamento mais bem organizado. O Botafogo ainda tem questões financeiras preocupantes, mesmo com a expectativa de concretizar venda para o clube, que pode dar aporte. Estamos no processo de transição, inicial, mas não estou de frente nisso, são o Jorge Braga e o presidente. Vamos ter dificuldade nesse início de temporada, as médias salariais de Série A são muito altas. Temos que ser responsáveis com lado financeiro, inteligentes e criativos pra montar elenco competitivo no início e fortalecer ao longo da temporada para fazer bom papel na Série A – afirmou.

– O clube tinha acordado inicialmente fazer investimento maior a partir de junho. Com essa nova janela de registros, que se encerra em abril, temos que ser ainda mais criativos. Estamos conversando internamente para ver o quanto conseguimos antecipar para ir ao mercado de forma mais agressiva e ter time mais competitivo possível considerando o nível da Série A. Tínhamos planejado até maio ter folha salarial parecida com a da Série B, agora temos esse novo desafio e conversas internas para liberar recursos e ter investimento maior no futebol do clube – finalizou.

Fonte: Redação FogãoNET e Rádio Tupi

Notícias relacionadas