Comentarista pede paciência à torcida após empate em Minas: ‘Sem afobação. Agora há um norte, o Botafogo terá ano digno’

64 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Comentarista pede paciência à torcida após empate em Minas: ‘Sem afobação. Agora há um norte, o Botafogo terá ano digno’
Reprodução/ESPN

A torcida do Botafogo foi em peso à Arena Independência, fez uma bonita festa no setor visitante, mas o Glorioso não apresentou um bom futebol e conseguiu, no fim, o empate em 1 a 1 com o América-MG, neste sábado. O resultado acabou sendo decepcionante, já que o Alvinegro assumiria a liderança em caso de vitória. O comentarista Felippe Facincani pediu paciência e freou qualquer tipo de “afobação” por parte dos alvinegros.

– O que o torcedor precisa agora é paciência, o que é algo um pouco complicado no futebol… Para quem esteve na Série B, devendo tudo o que não podia, com time sem perspectiva, sem elenco, com técnicos medianos, sem projeto, vendo um grande rival ganhando tudo… E entra agora com uma virada de chave completa na história, talvez seja o melhor momento financeiro e administrativo, é lógico que todos esperam, o mais rapidamente possível, que esses fantasmas sejam exorcizados de General Severiano – iniciou Facincani, no “Sportscenter”.

– O que dá pra dizer ao torcedor é que esse será um ano digno para o Botafogo. Um ano de uma equipe que vai brigar por coisas melhores, por vagas em competições continentais, oxalá que seja a Libertadores, porque tem condições para isso. Tem que ter paciência, esperar que o campeonato trará em algum momento esse tipo de tropeço, mas há um norte, um GPS ligado com um destino muito bem traçado para esse Botafogo – continuou.

Para o comentarista, o controle da expectativa na torcida será fundamental para passar por cima de eventuais oscilações durante a temporada.

– É claro que num jogo aqui vai errar a escalação, outro ali… Hoje (sábado) teve conserto para o segundo tempo, mas se o time tivesse um equilíbrio melhor no primeiro tempo, talvez tivesse conseguido um resultado melhor. Pelo menos, o torcedor pode respirar aliviado: “Temos um time, temos um técnico, temos uma ideia e temos uma administração.” Agora, é deixar esse barco ser tocado com muita calma, sem afobação, para não criar muita expectativa e virar decepção se ela não vier – finalizou Facincani.

Fonte: Redação FogãoNET e ESPN

Notícias relacionadas