Burocracia: contrato de mútuo entre Botafogo e Textor para empréstimo de R$ 50 milhões prevê direitos de jogadores como garantia

36 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Burocracia: contrato de mútuo entre Botafogo e Textor para empréstimo de R$ 50 milhões prevê direitos de jogadores como garantia
Vitor Silva/Botafogo

A assinatura do contrato de mútuo entre Botafogo e John Textor para viabilizar o empréstimo-ponte de R$ 50 milhões se arrastou mais do que deveria por conta de discussões sobre garantias caso a venda da SAF não saísse – o que não é cogitado por nenhuma das partes. A informação é do “GE”.

A alternativa para que o Botafogo desse uma garantia – que precisa estar em contrato – de que devolveria o empréstimo caso houvesse algum imprevisto nas negociações pela SAF foi atrelar parte dos direitos econômicos dos jogadores. Ninguém trabalha com a hipótese da mudança para John Textor dar errado, reitere-se.

A partir da assinatura desse contrato de mútuo, Textor tem até cinco dias úteis para enviar os R$ 50 milhões. Agora, passa a valer o que está no contrato da SAF: 10% da nova empresa como garantia para o mútuo.

O Botafogo planeja utilizar estes R$ 50 milhões iniciais para o pagamento de despesas mais urgentes e para concretizar negociações de jogadores que já estão abertas e próximas de um desfecho – o que podem ser os casos de Elkeson, Rafael Carioca e Óscar Romero.

Relembre o cronograma de investimentos de John Textor no Botafogo:

R$ 50 milhões como empréstimo-ponte
R$ 100 milhões à vista (na data de assinatura dos documentos)
R$ 100 milhões em até 12 meses
R$ 100 milhões em até 24 meses
R$ 50 milhões em até 36 meses

Fonte: Redação FogãoNET e GE

Notícias relacionadas