Dodô: ‘Botafogo foi o time que mais gostei de ter jogado. Mas fomos roubados no Carioca e na Copa do Brasil 2007’; Cuca recorda episódio curioso

64 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Dodô em Botafogo x Madureira | Campeonato Carioca de 2006
Reprodução/TV Globo

Artilheiro dos gols bonitos, Dodô deu entrevista esta semana ao podcast “Legal!”, do “GE”, para Luiz Carlos Júnior e Lédio Carmona. O ex-centroavante recordou a passagem pelo Botafogo, clube do qual guarda muito carinho, apesar do polêmico episódio de doping.

Fomos campeões cariocas em 2006, em 2007 poderíamos ter sido do Carioca e da Copa do Brasil, fomos roubados. No Campeonato Brasileiro éramos líderes até a questão do doping. O Botafogo dava suplemento para todos os jogadores, veio contaminado da farmácia de manipulação, o fisiologista do clube me deu. Tinha femproprorex, uma substância que mulher usa para emagrecer e é proibida. Acarretou em tudo, tive muitos problemas. Aquele ano do Botafogo era muito bom, depois degringolou, disputávamos de igual para igual com o São Paulo. Acabei saindo por causa disso, uma coisa inexplicável, impensável e que acabou me prejudicando bastante – explicou Dodô, que não tem mágoa do clube.

Sei diferenciar quem eram os profissionais que estavam lá da história do Botafogo, da camisa, foi o time que mais gostei de ter jogado. Sei separar o que aconteceu, a incompetência de quem estava lá no momento. Por mais que não tenhamos conquistado Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro, conseguimos muitas coisas, fiz quase 100 gols. Dentro de campo foi perfeito, fora teve seus problemas. Sei separar bem isso – contou.

Dodô recebeu ainda no podcast uma mensagem de Cuca recordando um episódio curioso no Botafogo.

– Dodô, o artilheiro dos gols bonitos, gente boa demais. Comigo no Botafogo, naquela timaço que tínhamos, era gostoso de ver jogar e treinar, chegamos na liderança do Brasileiro, foi legal demais. Jogava com a camisa 10. Pintou uma proposta de fora, entendemos e foi embora. Dei a 10 para o Zé Roberto. Daí o Dodô voltou, o (Carlos Augusto) Montenegro me disse “a 10 é dele né”. Falei “como vamos fazer se dei a 10 para o Zé Roberto?”. “Vamos fazer o Dodô entender que a 7 do Botafogo é mais importante que a 10. Explicamos, lógico que ele queria a 10, porque já tinha marca com essa camisa, acabou pegando a 7. Acho que ele foi ainda melhor com a 7 do que a com a 10, era gol de todo jeito. Conseguimos contentar todo mundo. Ainda bem que ele foi parceiro – lembrou Cuca.

– Essa foi minha terceira passagem pelo Botafogo. Sempre joguei com a 10, em 2002 e 2006, fiz muitos gols, fomos campeões em 2006, depois fui para os Emirados Árabes. Zé Roberto jogou muito bem a com a 10. Vi tensão no ar na minha chegada, perguntei o que era, disseram que era por causa do número da camisa. Falei que jogava com a 7, sem problemas, está tranquilo. Tive o privilégio de jogar com a 10 e a 7 do Botafogo e a 10 do Santos. O importante é jogar, se ficasse no banco que ia ficar bravo – brincou Dodô.

Fonte: Redação FogãoNET e podcast Legal! (GE)

Notícias relacionadas