Dodô se declara ao Botafogo: ‘É o time que amo, minha paixão, a camisa mais bonita do futebol brasileiro’

96 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Dodô em Botafogo x Flamengo | Final do Campeonato Carioca 2007
Reprodução/TV Globo

Craque e artilheiro na década de 90 e no início dos anos 2000, Dodô tem uma longa trajetória no futebol brasileiro, com passagens por clubes como Botafogo, São Paulo, Fluminense, Santos, Palmeiras e Vasco, entre outros. Ainda assim, não tem dúvida em afirmar qual é sua mais identificação.

– Sei separar bem as coisas. O Botafogo é o time que eu amo, a instituição, é a camisa mais bonita do futebol brasileiro, é a minha paixão. Eu gostava de jogar no Botafogo de verdade, de estar no Maracanã e ficar olhando para a camisa e falar “caraca, que camisa linda, que delícia poder jogar com a 7 ou a 10”. Mesmo em situações difíceis, com problemas de dinheiro, com times que poderiam ser melhores mas não eram pela condição financeira, pelo prazer que eu tinha em jogar e por me sentir bem, o Botafogo é a minha paixão – declarou Dodô, ao “Resenha ESPN”.

– As coisas que aconteceram foram (caso de doping) por profissionais que passaram pelo clube e não souberam administrar ou fizeram coisas erradas. Entendo o lado do torcedor. Mas como clube, instituição e camisa, o Botafogo é demais – elogiou.

Mochilas, bolsas e carteiras da coleção FogãoNET da Estilo Piti

Dodô relembrou ainda a primeira vez que enfrentou o Botafogo após a passagem em 2007. Foi atuando pelo Fluminense, em 2008, quando levou uma sonora vaia da torcida alvinegra no Maracanã e ouviu a música “Vou Festejar”, de Beth Carvalho, que tem o verso “você pagou com traição a quem sempre lhe deu a mão”.

– Foi logo o primeiro jogo do Carioca que nos enfrentamos, depois que saí do Botafogo. Aconteceu o problema do doping, fiquei dois anos sem jogar, por um suplemento dado pelos profissionais do clube, tenho dinheiro para receber do Botafogo até hoje. Teve gente que não entendeu e cantou aquela música. Se não acontecesse tudo que aconteceu em 2007, eu encerraria a carreira no Botafogo com certeza. Por motivos de força maior, não tive como continuar no clube fui para o Fluminense – completou.

Fonte: Redação FogãoNET e ESPN Brasil

Notícias relacionadas