Empréstimo-ponte de R$ 50 milhões de Textor ao Botafogo depende da assinatura de contrato de mútuo; entenda

75 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Empréstimo-ponte de R$ 50 milhões de Textor ao Botafogo depende da assinatura de contrato de mútuo; entenda
Vitor Silva/Botafogo

O Botafogo ainda aguarda um empréstimo-ponte de R$ 50 milhões de John Textor para pagar despesas mais urgentes e poder avançar em investidas estratégicas no mercado de transferências. A expectativa é de que o dinheiro caia até a próxima semana, mas ainda falta a assinatura de um documento.

A repórter Renata de Medeiros, do “ge.globo”, explicou como funciona esse trâmite numa thread no Twitter. Para o Botafogo conseguir receber o valor – ainda como associação, já que o processo de mudança para SAF ainda vai demorar cerca de dois meses -, é preciso que o contrato de mútuo seja assinado.

O prazo de cinco dias para o pagamento ser feito é a partir da assinatura desse contrato, e não da aprovação nos poderes internos do clube – Conselho Deliberativo e assembleia geral -, o que já ocorreu há quase duas semanas.

O contrato de mútuo serve para acertas as bases do empréstimo que será feito ao Botafogo antes de o contrato definitivo entre a SAF e a Eagle Holdings, empresa de Textor, ser assinado.

Tal contrato define as bases do empréstimo, com temas como juros, correção monetária, prazos de pagamento, formas de ingresso na sociedade (se for mútuo conversível), entre outros.

Segundo a repórter, o contrato de mútuo entre Botafogo e John Textor que permitirá o empréstimo-ponte será assinado nos próximos dias. E, a partir daí, passará a contar o prazo de cinco dias para que os R$ 50 milhões caiam na conta do Glorioso.

Fonte: Redação FogãoNET e Twitter da repórter Renata de Medeiros (GE)

Notícias relacionadas