Guarani rebate Diego Loureiro, goleiro do Botafogo, e relata ‘três surpresas negativas’ após fechar acordo de empréstimo

203 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Diego Loureiro em Atlético-GO x Botafogo | Campeonato Brasileiro 2022
Reprodução/SporTV

O Guarani emitiu nota oficial na noite deste domingo (7) se posicionando sobre a decisão do goleiro Diego Loureiro, atleta do Botafogo, de não mais defender o Bugre por empréstimo. O clube de Campinas rebateu o jogador e disse que, ao contrário do que ele relatou, as mudanças em relação ao acordo inicial foram pedidas pelo atleta.

No texto, o Guarani citou “três surpresas negativas” após ter entrado em acordo com o Botafogo pelo empréstimo, que seria até o fim do ano que vem e já havia sido anunciado oficialmente. Segundo o Bugre, Diego indicou dois representantes para tratar dos salários e um deles teria alegado ter recebido uma proposta de Portugal, o que não aconteceu.

Além disso, segundo o Gurani, Diego Loureiro “demonstrou insatisfação” em receber o mesmo salário que recebia no Botafogo e, “magoado com a decisão” do Glorioso de emprestá-lo e, após o Alvinegro ter contratado um novo goleiro (é possível que este seja Lucas Perri, para 2023), exigiu um salário maior para assinar. Por fim, o goleiro teria pedido também uma cláusula de liberação após o Paulistão caso o Bugre seja rebaixado este ano para a Série C do Brasileiro.

Confira a nota oficial do Guarani:

O Guarani informa que o goleiro Diego Loureiro não fará parte do elenco bugrino na sequência da temporada e esclarece a situação envolvendo o atleta.

A negociação entre Guarani e Botafogo foi conduzida através dos responsáveis pelo departamento de futebol dos dois clubes: Rodrigo Pastana e André Mazzuco, como acontece em tais situações. Porém o clube se deparou com três ‘surpresas’ negativas após o acerto.

1) Houve a indicação de dois agentes de diferentes empresas para tratar da questão salarial e um deles (Miguel Pinho, proprietário de uma Agência de Representação de Atletas Portugueses) alegou, APÓS o acerto, que o atleta não deveria se apresentar em Campinas, pois o mesmo o conduziria ao futebol português, através de uma proposta que nunca chegou. Este mesmo representante proibiu o atleta de participar do treinamento no último sábado e foi quem avisou, neste domingo, que não haveria mais acerto e que o atleta já havia retornado ao Rio de Janeiro.

2) O atleta demonstrou insatisfação em receber os mesmos valores que recebia no último clube. Magoado com a posição da ex-equipe em emprestá-lo e, após a contratação de um novo goleiro por parte do clube de origem, o atleta exigiu um acréscimo nos valores acordados para assinar o contrato de empréstimo.

3) O atleta exigiu uma cláusula contratual de liberação após o Campeonato Paulista em caso de rebaixamento do Guarani.

O Guarani Futebol Clube é uma instituição tradicional, respeitada no futebol brasileiro e que tem zelado por cumprir todos os seus acordos. Não ficaremos reféns de profissionais que não querem ou, no caminho, percebem que não são capazes de vencer tal luta.

Também lastimamos que tais fatos sejam corriqueiros e consequência da falta de conduta profissional por parte de alguns atletas e agentes.

Por fim, agradecemos o empenho do Botafogo e sua Direção, que não tiveram qualquer responsabilidade nesse episódio, e estiveram à disposição para resolver a situação.

Fonte: Redação FogãoNET e Site do Guarani

Notícias relacionadas