(OFF) Ex-Cruzeiro, Luxemburgo critica SAF no Brasil e vê como realidade negativa

134 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Vanderlei Luxemburgo em Cruzeiro x Botafogo | Série B do Campeonato Brasileiro 2021
Reprodução/Premiere

Vanderlei Luxemburgo concedeu a primeira entrevista após ser demitido do Cruzeiro. Em conversa com a rádio Transamérica nessa quarta-feira, o experiente treinador falou sobre a saída do clube, a relação com Ronaldo e criticou o modelo da Sociedade Anônima de Futebol (SAF) no Brasil.

A Raposa anunciou a saída de Luxa no dia 28 de dezembro de 2021, 10 dias após Ronaldo assinar um acordo de compra vinculante de 90% das ações e assumir a gestão do Cruzeiro.

O ex-jogador e sua equipe entenderam que Luxemburgo não seria o melhor nome para o novo projeto. Mesmo após ter o contrato renovado cerca de um mês antes, o técnico foi comunicado que não permaneceria.

“Não tenho nenhum problema de o Ronaldo não ter ficado comigo. Ele é o presidente, comprou uma empresa, a minha relação pessoal com ele é de amizade, eu continuo gostando dele da mesma forma. Ele comprou a empresa e entendeu que o técnico Vanderlei Luxemburgo, amigo dele, não cabia no projeto que ele tem dentro da empresa dele. Ponto. Por que vai buscar o passado? Não tem nada a ver. Pergunta para ele, para escutar a resposta. Tenho zero de preocupação de que o Ronaldo não ficou comigo. Zero, está tudo certo”, disse.

O treinador deixou o comando da equipe celeste após oito vitórias, 11 empates e quatro derrotas em 23 jogos na Série B. Ele tirou a Raposa da zona de rebaixamento à Terceira Divisão e encerrou em 14º lugar, com 48 pontos.

Apesar de não ter problemas com Ronaldo, Vanderlei não acredita que a SAF seja positiva no Brasil. Logo na sequência, afirmou que esse modelo é uma realidade, mas negativa em seu ponto de vista. Para Luxa, é possível mudar um patamar de um clube sem precisar vender parte de suas ações.

“(Não gosto) Porque falta gestão competente e sem roubo. O Flamengo pagou a dívida como? Com o que? Ativo do próprio clube. Três jogadores que venderam pagaram R$ 800 milhões e passou a ser um clube autossuficiente com receita de televisão. Quando eu falo isso, que a SAF para mim nada mais é, vou falar uma coisa que nada mais é, que foi criado um instrumento para que você venda a empresa, para que o clube fique com 5%, 10%, para que o passivo do clube fique com ele e o ativo com a SAF”, criticou o treinador.

Após a saída de Luxemburgo, o Cruzeiro contratou o jovem técnico uruguaio Paulo Pezzolano, de 38 anos. Ronaldo e sua equipe também promoveram mudanças nos contratos dos jogadores contratados e dispensaram aqueles que não se adequaram, como os goleiros Fábio e Jailson e o lateral-direito Pará.

Fonte: Superesportes e Rádio Transamérica

Notícias relacionadas