PC Caju rasga elogios a John Textor no Botafogo: ‘Nos lembrou o que realmente importa no futebol’

38 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

PC Caju rasga elogios a John Textor no Botafogo: ‘Nos lembrou o que realmente importa no futebol’
Vitor Silva/Botafogo

“Foi preciso da chegada de um dono estrangeiro para sacolejar nossos ombros. John Textor se deixou contagiar pela magia do torcedor do Botafogo“. Com essas palavras no subtítulo de sua coluna na “Placar”, o craque Paulo Cezar Caju exaltou o investidor da SAF (Sociedade Anônima do Futebol) alvinegra.

Geralmente com tom crítico em seus comentários, PC Caju destacou que Textor “nos lembrou o que realmente importa no futebol”.

– O futebol vive de personagens, de emoção, de entrega, de música, de bandeiras e, acima de tudo, da paixão do torcedor. Estamos cansados de falar sobre o baixo nível técnico do futebol brasileiro. Tenho assistido jogos terríveis, mas também tenho presenciado o show de várias torcidas. Elas parecem ter entendido que o protagonismo deve ser delas, que elas, sim, precisam entrar em campo e salvar os campeonatos. E foi justamente a torcida que acertou em cheio o coração do executivo John Textor – avaliou PC Caju, que foi além.

– Ele em momento nenhum elogiou o desempenho do Botafogo, pois reconhece que se trata apenas de um grupo de bons jogadores, que tem suas deficiências, como tantos outros. John Textor desfraldou uma bandeira, tomou chope no Jobi e chorou contagiado pela magia do torcedor brasileiro. Isso é o futebol, o conjunto da obra. E foi preciso a chegada de um empresário americano para sacolejar nossos ombros e nos lembrar que o Brasil é o país do futebol – acrescentou.

Ídolo do Botafogo, o ex-jogador também destacou o perfil de John Textor.

– Não conheço Textor, mas não me parece com alguns dirigentes que usam o alcance dos clubes para concorrerem a cargos políticos e de multinacionais. Textor é marqueteiro? O futebol é marketing. Francisco Horta, Eurico Miranda, Vicente Matheus, Márcio Braga podiam ser polêmicos, mas faziam o futebol respirar. Hoje jogadores, cartolas, todos são muito distantes de seu público e, por isso, todos foram fisgados pela emoção de Textor, porque não deixamos essa essência se perder, ser soterrada nos escombros dos velhos estádios – completou.

Fonte: Redação FogãoNET e Placar

Notícias relacionadas