Ex-tenista e sócio de vinícola, Luís Oyama deixa futuro no Botafogo para depois: ‘Momento é de pensar no acesso’

15 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Ex-tenista e sócio de vinícola, Luís Oyama deixa futuro no Botafogo para depois: ‘Momento é de pensar no acesso’
Vitor Silva/Botafogo

Um dos jogadores mais queridos pela torcida do Botafogo, Luis Oyama é um personagem diferente no meio do futebol. O volante, que está emprestado pelo Mirassol, foi atleta de tênis na juventude e é sócio da “Vinífero“, uma vinícola online aberta há três meses.

Em entrevista ao “GE” neste sábado, Oyama falou sobre o passado no esporte de Gustavo Kuerten e disse como foi a opção por mudar de vez para o futebol.

– Eu desenrolava no tênis (risos). Não era um exímio tenista, mas acho que jogava bem. Eu chamei a atenção uma vez porque numa temporada eu disputei 11 torneios e ganhei os 11. Aí subi de “conhecido” para top 10 de São Paulo. Tem essa história (risos). Mas não sei, acho que não daria certo, futebol é melhor. A mudança foi quando surgiu a proposta do Mirassol em 2015/2016. Eu teria que escolher porque precisaria treinar todo dia no Mirassol – explicou.

– Aí chegou um momento que eu tive que escolher entre ser tenista e jogador de futebol. Acho que era mais viável ser jogador de futebol porque tenista tinha muito gasto com viagem para disputar torneio na cidade, tinha estadia, tinha que pagar o hotel… No momento eu achei que seria mais viável escolher o futebol porque não tinha tanto gasto. Foi nesse momento – completou.

Luís Oyama está emprestado ao Botafogo pelo Mirassol até o fim da Série B. O jogador já disse diversas vezes ter vontade de permanecer no Glorioso, mas deixou qualquer assunto de futuro de lado em prol do objetivo de conquistar o acesso à Primeira Divisão.

– O Botafogo tem uma preferência de compra, mas o futuro está na mão do meu agente e vamos pensar no melhor caminho. Claro que eu tenho vontade de ficar aqui. O clube me acolheu bem pra caramba, todos os profissionais, a torcida mesmo… Mas acho que não é o momento para pensar nisso. O momento é de pensar no acesso, colocar o Botafogo onde merece e, quem sabe, o título. Vamos ver, é passo a passo – afirmou.

Fonte: Redação FogãoNET e GE

Notícias relacionadas