Comunicação é tudo: Botafogo precisa acalmar ambiente e tomar cuidado com as palavras

76 comentários

Blog da Redação

Blog da Redação

Compartilhe

Comunicação é tudo: Botafogo precisa acalmar ambiente e tomar cuidado com as palavras
Vitor Silva/Botafogo

O Botafogo vive um momento complicado dentro de campo, com seis derrotas nos últimos oito jogos e uma eliminação que parece irreversível na Copa do Brasil. Toda hora reforçamos a necessidade de haver calma com o processo difícil pelo qual o Glorioso precisa passar, mas certas declarações nos últimos dias não têm ajudado.

Comentaristas, mídia independente e influenciadores podem até ajudar a pedir calma, mas o sentimento do torcedor é soberano e justo. O Botafogo não tem tempo a perder. Quem está irritado vendo que as coisas não estão andando do jeito que se esperava, tem sua parcela de razão. Quem é mais ponderado e pede paciência, também.

Mas as próprias lideranças do Botafogo precisam ajudar. E, por enquanto, não estão ajudando. Qual a necessidade de John Textor postar sobre Neymar horas antes de um jogo tão importante contra o América-MG? Qual a necessidade de Luís Castro ir na imprensa e falar que o CT tem campos duros, bons para estacionar carros? Ou de reclamar que jogou com o time da Série B?

Os torcedores estão carecas de saber das dificuldades que o clube tem, fruto de administrações amadoras e erráticas ao longo de anos. Então, é hora de trabalhar dobrado e fechar a boca. É claro que se trata de um processo demorado. O Botafogo não tem sequer um CT com condições mínimas. Ainda é tudo muito na gambiarra.

Só que as melhorias já são nítidas. A começar pelos salários em dia. Há um esquema de premiações, há voos fretados para minimizar o cansaço das viagens, há novos equipamentos para recuperação dos jogadores. Será que isso tudo seria possível sem a SAF? É claro que o Botafogo passa por uma evolução gradativa, mas o Glorioso não terá uma estrutura de primeiro nível em poucos meses.

É preciso ter resiliência agora e confiança, mas sem deixar de sermos vigilantes. Todos são passíveis de serem criticados. E o próprio Botafogo precisa ajudar, melhorando a comunicação. Isso passa, inclusive, por maior transparência em relação aos atletas lesionados. Cobranças internas precisam ser feitas, em todas as áreas, para ajustar o que está errado. E bola pra frente!

Fonte: Redação FogãoNET

Notícias relacionadas