O Botafogo é gigante, incomoda. Visto que o arrogante Gabriel Barbosa, do Flamengo, quis imitar a histórica cavadinha de Loco Abreu e se deu mal, acertando o travessão. O Glorioso, um dos 12 maiores clubes do Século XX, incomoda demais e vai continuar incomodando, graças, principalmente, à sua história e à imensa torcida.

Não é fácil continuar apoiando um clube que não ganha um título de expressão há 25 anos e vira e mexe é prejudicado pela arbitragem. Tampouco é tranquilo acompanhar uma agremiação centenária que recebe tão pouca atenção da mídia. É comum ser tratada com desdém, com pouco-caso, quase como uma obrigação de abordar o assunto.

Mas o Botafogo é enorme e sua torcida é, sem dúvida, a melhor que tem. Neste sábado, no Maracanã, sofreu mais uma vez para conseguir entrar no estádio, fruto da má-vontade do Flamengo, sempre abraçado pela mídia. Uma bilheteria apenas aberta, filas intermináveis. Pessoas relataram ter ficado duas horas para conseguir entrar. Um verdadeiro absurdo.

O FOGÃONET esteve presente no Maracanã e viu tudo de pertinho, observando cada detalhe. Lá dentro, com o mando de campo do Flamengo, tudo estava armado para os rubro-negros, apesar do regulamento da Ferj estipular que os clássicos são disputados em campo neutro e o mandante tem obrigações apenas operacionais.

Sem transmissão na TV, apenas os abnegados e apaixonados botafoguenses que se arriscaram sair de casa para encarar mais de 40 mil torcedores rivais de frente puderam presenciar o clássico. E eles, mais uma vez, deram um verdadeiro show. Enquanto a torcida do rival, em expressiva maioria, ficava em silêncio, parecendo ver um jogo de tênis, a galera do Botafogo gritava, tremulava suas bandeiras e fazia-se ouvir com clareza no antigo Maior do Mundo, mesmo espremida no setor inferior – o superior sequer foi aberto, outra atitude baixa dos ditos coirmãos.

Em campo, era sabido que seria difícil. Por conta do rio de dinheiro que ganha – principalmente da TV -, o Flamengo tem mais investimento em jogadores, em estrutura física, em profissionais da comissão… Segundo o site Transfermarkt, o valor de mercado do elenco do Botafogo (€ 28,5 milhões) é 5,3 vezes menor que o do Flamengo. Só Gerson e Everton Ribeiro somados já dão o valor do plantel alvinegro. Não é fácil.

Porém, o Botafogo soube se comportar muito bem no primeiro tempo. Anulou as jogadas ofensivas do Flamengo e teve duas chances, ao menos, de ir para o intervalo vencendo. Pedro Raul acertou a trave e, depois, em lance revisto pelo VAR mas que ainda está gerando muita discussão, teve um gol anulado.

O Flamengo voltou para o segundo tempo com sua tática habitual de começar em cima e, na primeira falha de cobertura pelo lado direito da defesa, conseguiu abrir o placar com Everton Ribeiro, após uma bola que poderia ter sido melhor afastada por Gatito. Aí o Botafogo sentiu o gol, acabou se desorganizando e alguns atletas sentiram o desgaste físico, e sofreu mais dois.

Ressalto aqui que a força do Botafogo continuará muito grande e o futuro a nós pertence. Com a torcida indo ao estádio e aderindo ao sócio-torcedor e o processo da Botafogo S.A. andando, temos tudo para alcançar outro nível. Honda já chegou, Yaya Touré está vindo… E terça-feira, contra o Paraná, temos que colocar 40 mil pessoas no Nilton Santos. Esse é o nosso dever.

Saudações Alvinegras!

Fonte: Blog da Redação