Esclarecimentos de John Textor reforçam que não há varinha mágica; Botafogo será mais forte gradativamente

92 comentários

Blog da Redação

Blog da Redação

Compartilhe

Esclarecimentos de John Textor reforçam que não há varinha mágica; Botafogo será mais forte gradativamente
Vitor Silva/Botafogo

Quando o Botafogo anunciou, ainda em dezembro de 2021, que estava vendendo a recém-constituída SAF para John Textor, o pensamento foi quase unânime entre os torcedores: o sofrimento acabou e o Glorioso enfim voltará a ser protagonista. Mas, como quase tudo na vida, não há varinha mágica. Uma mudança tão brusca leva tempo.

Na ótima entrevista que concedeu na live do FogãoNET no YouTube nesta quarta-feira (24/1), John Textor enumerou pontos para reforçar a necessidade de não haver açodamentos. Não se trata de passar pano, tanto é que ele mesmo admitiu que pode ter errado em diversas questões. Mas, ainda mais se tratando de Brasil, o negócio passa longe de ser simples.

A Lei da SAF foi um dos pontos que mais demandou atenção de Textor. Como muitas leis por aqui, ela não é respeitada. Seja por um entendimento difuso dos juristas, seja por ser algo novo. E passa também pela absoluta falta de credibilidade do velho Botafogo, tão maltratado por gestões amadoras e ruins no passado.

Mesmo com a transformação em SAF, o Botafogo não recebeu a premiação da CBF pela Copa do Brasil, não recebeu dinheiro da Globo, foi ameaçado pela Ferj e toda hora alguma cobrança inesperada surge. Haja abacaxi para descascar. E, no meio disso tudo, ainda é preciso colocar o trem nos trilhos, com um primeiro ano agitadíssimo, tendo de montar um elenco praticamente do zero.

Passado praticamente um ano de SAF, o horizonte é bem mais animador. Temos um supertime para brigar com Palmeiras ou Flamengo? Não. Mas tudo é um processo. A temporada 2023 tem tudo para ser melhor, com um elenco que se conhece, um técnico melhor ambientado ao futebol brasileiro e ao Botafogo e uma temporada traçada desde seu início.

Até aqui, o Botafogo evoluiu. Vamos cobrar que em 2023 essa evolução continue, para ver o Glorioso forte novamente. Mas com sabedoria, sem achar que tudo vai acontecer num estalar de dedos.

Notícias relacionadas