Não está sendo fácil ver nosso maior rival comemorar dois títulos em menos de 24h. Está dando raiva assistir às mesas-redondas. Infelizmente, eles montaram um time forte e conseguiram realizar um ano mágico, e a “boa vontade” da mídia ficou ainda mais evidente (vale a leitura de um artigo do jornalista André Barcinski, na Folha de S. Paulo). Mas nós, torcedores do Botafogo, não temos que estar nem aí.

Botafoguense que se preza sabe que, para nós, o suficiente é ver aquela Estrela Solitária em campo. É acompanhar o jogo no Estádio Nilton Santos – ou, impossibilitado de ir, ver do sofá ao lado da família alvinegra, ou dos amigos. Ser botafoguense é praticar uma paixão que às vezes não é correspondida, o tempo todo. Para nós, o Botafogo basta.

Domingo você ligava a TV e só via a festa dos rubro-negros. Claro, motivos têm de sobra. Mas bastou vestir a camisa gloriosa, pegar a condução e ir para o Estádio Nilton Santos para experimentar uma sensação que não se compara. Não se explica. É lindo de ver nossa galera lá, cantando a plenos pulmões.

Time de Loco Abreu em 2010 foi um belo exemplo de como o Botafogo se basta: somos gigantes

 

Temos um time limitado, meio bagunçado, mas que joga no embalo da nossa torcida – a diretoria, por sinal, demorou a praticar preços mais baixos e só sentiu a necessidade de ter mais gente para salvar a equipe do rebaixamento depois da metade do campeonato. Nossa camisa vence jogos. Aquela estrela no peito é mágica.

Agora a modinha é “pular o muro”, falar que o “muro está baixo”. Sinceramente, o Botafogo não precisa de torcedores assim. E isso é uma parcela ínfima que faz. Nós sabemos que a galera botafoguense é, acima de tudo, apaixonada pelo Botafogo. Independente da qualidade do time que esteja em campo. Ninguém ama como a gente.

Ainda temos uma missão a cumprir, a de escapar do rebaixamento. Com o Niltão lotado, creio que ela será cumprida. O Botafogo é gigante e o futuro se desenha promissor.

Brasileiro tem memória curta, mas basta uma rápida pesquisa para ver como foi a nossa festa pelo título brasileiro de 95. A galera invadiu a pista do Aeroporto Santos Dumont. Coisa de maluco.

Portanto, o Flamengo que se dane. Loco Abreu e Mauricio que o digam. Nós preferimos o Botafogo.

Saudações alvinegras!

Fonte: Redação FogãoNET