O regulamento da Ferj estipula que os clássicos são disputados em campo neutro e o mandante tem obrigações apenas operacionais (Art. 39 – Terá mando de campo de uma partida, exclusivamente para efeito do cumprimento das obrigações da legislação e do RGC, a associação colocada à esquerda da tabela). A mesma Federação determina que o Maracanã é campo neutro, sobretudo quando questionada sobre o Flamengo jogar todas partidas do Campeonato Carioca de 2020 no estádio. Porém, na prática, o que se vê é bem diferente, a tomar como exemplo o clássico entre Botafogo e Flamengo, disputado no último sábado.

Banner da loja do FogãoNet por Estilo Piti para faixa Konichiwa

Apesar de haver divisão igualitária de ingressos (a renda foi dividida em 60% para quem venceu e 40% para quem perdeu), quem foi ao clássico pôde constatar que o Botafogo foi visitante em um Maracanã administrado pelo Flamengo. A começar pela confusão para a entrada da torcida alvinegra, com apenas uma bilheteria disponível tanto para venda quanto para troca de ingressos na hora do jogo. A vida dos botafoguenses foi dificultada o tempo todo.

Veja abaixo alguns itens do Maracanã rubro-negro:

– BILHETERIAS

O maior problema para os botafoguenses foi comprar, retirar ingressos adquiridos pela internet e acessar o estádio. Na hora do jogo, apenas uma bilheteria estava disponível para os alvinegros, gerando longas filas e espera de mais de uma hora. Muitos torcedores só entraram com a bola já rolando. Dentro do Maracanã, apenas um setor aberto.

– VENDA ANTECIPADA

Nós do FogãoNET tentamos comprar pela internet. Desistimos ao ver que era diretamente no site do Flamengo e fomos a General Severiano. Os botafoguenses tinham 2 postos de venda antecipada à disposição, os flamenguistas inúmeros. Há relatos que a compra na internet ainda cobrava taxa de conveniência.

– SISTEMA DE SOM

Quando finalmente eram vencidas as barreiras para entrar no estádio, a torcida do Botafogo tinha que encarar um sistema de som altíssimo e todo voltado para informações sobre o Flamengo. Os alvinegros cantaram muito e não ouviram a torcida rival, mas o sistema de som era impossível não ser escutado.

– BANDEIRINHAS DE ESCANTEIO

Até as bandeirinhas de escanteio estavam em vermelho e preto, com a bandeira do Flamengo. Nada de campo neutro.

– TELÃO

Todo em vermelho e preto, inclusive nas informações sobre o Botafogo, o telão do Maracanã era outro elemento a promover apenas o Flamengo.

– PATROCÍNIOS E MARKETING

O telão e uma placa digital promoviam propagandas de patrocinadores do Flamengo por diversas vezes. Além disso, foram feitas ações de marketing do clube no gramado, como lançamento de uniforme do time feminino. Do Botafogo, nada

– IRRIGAÇÃO SÓ DE UM LADO?

Botafoguenses reclamaram que o sistema de irrigação molhava apenas o lado que o Flamengo iria atacar, tanto antes do jogo quanto no intervalo

– GANDULAS

Chegaram a sumir bolas quando a reposição era do Botafogo, com jogadores tendo que pegar. Para o Flamengo, as bolas eram rapidamente devolvidas, parecendo jogadas ensaiadas

Em busca de um campeonato justo e sem desequilíbrios técnicos, o Botafogo e os demais clubes deveriam protestar na Ferj contra o atual formato do Carioca, não aceitarem quietos mudanças que quebram a isonomia da competição. Assim como a imprensa deveria se posicionar, de forma crítica.

EXTRA: O VAR

Por incrível que pareça, até o VAR foi usado de forma seletiva, segundo os alvinegros. Serviu para anular um gol com impedimento duvidoso de Pedro Raul, mas botafoguenses reclamam que a arbitragem de vídeo ignorou empurrão de Bruno Henrique em Danilo Barcelos no primeiro gol. Veja as imagens abaixo: