O assunto hoje não é Dia das Mães nem a vitória do Botafogo. Mas a humilhação pública “imposta” pela TV Globo a Sidão, do Vasco. Por menos empática que possa ser a mobilização na internet para eleger o goleiro o “Craque do Jogo” (sic) na derrota cruzmaltina por 3 a 0 para o Santos, faltou bom senso e agilidade à emissora para evitar tal constrangimento. Coitado do arqueiro vascaíno e da repórter Julia Guimarães, que teve de entregar o troféu, visivelmente desconfortável.

O FOGÃONET presta seu apoio a Sidão. Ali está um profissional, pai de família, um goleiro de Série A de Campeonato Brasileiro. Não importa nesse caso se seu nível atual não está elevado nem suas atuações recentes, em primeiro lugar sempre está o respeito.

E, é conveniente lembrar, Sidão teve boa passagem no Botafogo. Chegou como destaque repentino do Audax-SP em 2016 com a missão de substituir o ídolo lesionado Jefferson e barrar Helton Leite em um time que flertava com o rebaixamento. Com confiança em alta, carisma e boas defesas, ajudou na campanha que levou o Botafogo para a Libertadores. Quase fez até gol de bicicleta, contra esse mesmo Santos.

Talvez o erro de sua carreira tenha sido sair do Botafogo para o São Paulo, onde não se firmou. Mas a vida é feita de escolhas. O caminho ficou aberto para a chegada de Gatito Fernández, hoje incontestável no clube.

Agora, Sidão, a recuperação depende de você. Erga a cabeça e siga trabalhando, ninguém chega a clubes grandes à toa. Que você possa reagir e ser o craque do jogo ainda muitas vezes na carreira (não contra o Botafogo, por favor). E que a Globo repense urgentemente esse prêmio Craque do Jogo, se vale realmente a pena expor um profissional à humilhação em rede nacional.