Depois do empate em 0 a 0 com o Grêmio na quarta-feira, encontramos muitos torcedores na internet se perguntando: porque o Estádio Nilton Santos não lotou? Porque ficamos calados em determinados momentos do jogo? O que faltou para colocarmos 40 mil pessoas, como no jogo contra o Nacional? O que estamos sugerindo é o seguinte: não temos que debater isso agora.

Os cerca de 34 mil botafoguenses (além disso, foram mais ou menos 2 mil gremistas, totalizando 36 mil presentes) fizeram mais uma bonita festa no Estádio Nilton Santos, com o camisão. Cantamos o hino oficial, as músicas, repetimos várias vezes o mantra “Não se compara”. E o time jogou. Encontrou um adversário muito bem organizado, partiu para cima, teve pênalti claro a seu favor não marcado… E acabou 0 a 0.

Rodrigo Pimpão contra o Atlético Nacional, Gatito contra o Olimpia, João Paulo contra o Nacional-URU: por que não podemos ganhar do Grêmio lá?

Rodrigo Pimpão contra o Atlético Nacional, Gatito contra o Olimpia, João Paulo contra o Nacional-URU: por que o Botafogo não pode ganhar do Grêmio lá?

Algumas peças renderam abaixo do esperado, mas a formação que Jair pôs em campo foi para conquistar uma vitória. Agora, é a hora de canalizarmos todas as energias positivas para a noite do dia 20, em Porto Alegre. Qualquer empate com gols é nosso. Até o 0 a 0 deve servir, já que Gatito é garantia de pênaltis defendidos, apesar de no outro lado estar o bom Marcelo Grohe.

Não é hora de ficarmos procurando fantasmas, ver porque não esgotamos os ingressos… Quem foi, fez sua parte. Às vezes, o silêncio tomou conta, muito pelo nervosismo. Foi um jogo brigado! Qualquer dividida, qualquer segunda bola, qualquer disputa pelo alto, valia muito. A torcida subia junto, dava carrinho junto. E nessa situação, às vezes não encontramos tempo para cantar.

FOGOOOOOOOOOOOOOOOOO 🔥🔥🔥🔥

Posted by FOGÃONET on Wednesday, September 13, 2017

A entrevista coletiva de Jair após o jogo foi ótima: aqui não há lugar para pessimismo. Antes da Libertadores começar, ninguém acreditava no Botafogo. Mas fomos passando, derrubando campeões. Vencemos o temido Atlético Nacional lá na Colômbia, por exemplo. Derrotamos o tradicionalíssimo Nacional-URU dentro do caldeirão do Parque Central. Por que não podemos vencer o Grêmio na Arena?

Dia 20, todos ficaremos colados na telinha mandando energias positivas para os poucos alvinegros que poderão entrar na Arena, e para os jogadores e o técnico Jair. Faltam cinco jogos para conseguirmos a glória. Falta pouco. Já chegamos até aqui, tão longe, e podemos fazer mais. A Estrela Solitária joga sozinha, e há de brilhar.

Saudações alvinegras!