Joel Carli não foi procurado pela diretoria do Botafogo para negociar sua saída do clube. Os dirigentes estão aos poucos se livrando de medalhões. Leonardo Valencia deixou General Severiano na semana passada. Cícero e Diego Souza devem seguir o mesmo caminho. Porém, no caso de Joel Carli a história é diferente. O jogador tem um histórico bem positivo com a camisa botafoguense. Além disso, recentemente prorrogou contrato após atingir a meta de produtividade que previa a ampliação do vínculo de forma automática. Este fato tranquiliza seus representantes.

Joel Carli tem contrato com o Botafogo até 31 de janeiro de 2022. Ao contrário das situações envolvendo Valencia, Diego Souza e Cícero, a saída do argentino está longe de ser um consenso do grupo que administra o departamento de futebol.

Carli conta com prestígio junto aos dirigentes do Botafogo

Joel Carli conta com o respeito dos dirigentes pela maneira profissional como sempre se comportou no Botafogo. Além disso, tem cumprido as metas de produtividade todos os anos. Fora isso, pesa a seu favor o fato de ter jogado algumas vezes no sacrifício, mesmo estando com dores. Um exemplo disso foi o jogo contra o Palmeiras, no segundo turno do Campeonato Brasileiro, quando o Botafogo viajou com diversos problemas. Eram sete desfalques para o duelo, vencido pelos paulistas por 1 a 0.

Além disso, o argentino conseguiu estabelecer uma relação de confiança com os torcedores por conta de atuações importantes, como em jogos da Copa Libertadores de 2017.

Carli chegou ao Botafogo em 2016 e viveu seu principal momento em 2018, quando marcou o gol decisivo na decisão do Campeonato Carioca. O Botafogo ganhou por 1 a 0 do Vasco com um tento nos acréscimos do argentino. Na decisão por pênaltis, entretanto, brilhou a estrela de outro estrangeiro do plantel: o goleiro Gatito Fernández.