Usamos cookies para anúncios e para melhorar sua experiência. Ao continuar no site você concorda com a Política de Privacidade.

Ramón Díaz pode acabar com alguns problemas graves do Botafogo

0 comentários

Blog do Mansell

Blog do Mansell

Compartilhe

Ramón Díaz, ex-River Plate e Libertad, está próximo do Botafogo
Arquivo pessoal

A contratação de Ramón Díaz ainda é tratada com desconfiança pela torcida do Botafogo. Afinal de contas já tem um tempo que ele não realiza um bom trabalho. Não vou entrar no mérito da questão se ele era ou não o melhor nome. Já está contratado e agora precisa de todos os setores do clube apoiarem para ele dar certo. Além disso creio que ele possa resolver alguns problemas graves do Botafogo.

Ramón Díaz vem de uma escola de técnicos argentinos que não aceita comodismo em campo. É aquele tipo de treinador que pretende ver sangue nos olhos dos jogadores. Não falta vontade ao time do Botafogo. Mas em alguns momentos os jogadores parecem acreditar que não são capazes de vencer. E isso Ramón Díaz poderá resolver.

Outro problema que pode ter solução é a preparação física. Um treinador realmente profissional não vai aceitar situações como a que vimos nos últimos meses. O time sempre morrendo no segundo tempo e a diretoria insistindo em um modelo de trabalho fracassado.

Botafogo sobe um degrau

Ramón Díaz, ex-River Plate e Libertad, está cotado no Botafogo
Ramón Díaz, ex-River Plate e Libertad, é o novo técnico do Botafogo

Ainda tenho esperanças de que será o fim das contratações de ocasião, das apostas sem sentido. Ramón Díaz também vem de uma escola onde se abre mão do volume em favor da qualidade. Ou seja, se tem dinheiro para contratar quatro perebas, junte a grana e traga um bom. O elenco ficará mais enxuto, muitas vezes se terá que apelar para a base, mas, pelo menos, não vão contratar um jogador rezando para ele não precisar entrar em campo.

O Botafogo sobe um degrau em termos de treinador. Com todo respeito, Alberto Valentim, Zé Ricardo, Felipe Tigrão, Eduardo Barroca e Bruno Lazaroni não entrariam em rota de colisão com os dirigentes sobre os temas anteriores. Assim como Paulo Autuori não fez talvez por sonhar com um cargo de gerência. Ramón Díaz não vai manchar a sua biografia aceitando puxadinhos. Se o aspecto tático emplacar o saldo pode ser bem positivo. Fico sinceramente na torcida para que dê certo.

Notícias relacionadas
Comentários