O Botafogo recebeu na noite desta terça-feira em General Severiano o jornalista André Rizek, do SporTV, para uma visita ao Centro de Memória, Túnel do Tempo e demais instalações da sede social do clube. Após viajar na história gloriosa do Fogão, Rizek disse que a experiência foi emocionante, além de exaltar o ídolo Garrincha e a relevância do Alvinegro no enredo das Copas do Mundo.

– Esse lugar aqui emociona a gente. Aqui você vê a história do futebol brasileiro, não somente a história do Botafogo. Eu sempre tive um fascínio pelo Garrincha, que só aumentou com a biografia do Ruy Castro, e pelo futebol dos anos 1950-60, que para mim foram a era de ouro do Brasil. Então eu sempre tive uma relação de admirador do Botafogo. Não há parâmetro na história do futebol mundial de um time influenciar tanto a conquista de uma seleção como o Botafogo em 1962: Amarildo, Didi, Garrincha, Zagallo e Nilton Santos. Se tirasse essa quina da Copa do Mundo, não tinha bicampeonato mundial – declarou.

André Rizek com bandeirão na torcida do Botafogo

Ainda no passeio, André Rizek revelou que já assistiu aos jogos do Fogão nas arquibancadas do Estádio Nilton Santos e do Maracanã, bandeirando na torcida Loucos pelo Botafogo e tudo. Ele esteve presente no inesquecível título estadual sobre o Flamengo em 2010, quando Jefferson e Loco Abreu deram uma das maiores alegrias ao torcedor botafoguense até hoje. Quem esquece? Impossível, né?

– Quando eu me mudei para o Rio de Janeiro, em 2010, eu já tinha esse fascínio todo pelo Botafogo, meus amigos Marcos Botelho e Álvaro Campos, dois botafoguenses fanáticos, me levaram no Nilton Santos para ver a estreia do Loco, contra o Vasco. Foi 6 a 0… Eu vi o jogo na arquibancada e a torcida do Botafogo me tratou superbem. Fiquei na Loucos, me deram bandeirão, achei o maior barato. Fui a vários jogos naquele ano. O Botafogo acabou campeão. Eu estava nas duas finais, na arquibancada. E aí fui criando uma relação com o Botafogo, com os botafoguenses, na verdade, por causa do Redação SporTV, (apresentei por muitos anos), que analisava a imprensa e eu sempre reclamava da maneira como a imprensa do Rio tratava o Botafogo. Fui criando uma relação muito gostosa, mas nunca tinha vindo aqui no memorial – contou.

André Rizek visita Centro de Memória em General Severiano, sede social do BotafogoAndré Rizek ganhou uma camisa do Glorioso na visita a General Severiano (Foto: Comunicação/Botafogo)

Ídolo do Fogão, Loco Abreu dá boas-vindas para jornalista

Uma das atrações do tour pela história alvinegra é uma camisa 13 de Loco Abreu, que motivou o jornalista a tirar uma foto e mandar uma mensagem para o atacante. Segundo Rizek, a resposta foi imediata e hospitaleira.

– Aqui você vai respirando a história, década a década, vai vendo as fotos dos jogadores… Eu mandei uma foto no WhatsApp para o Loco Abreu, que acabou ficando meu amigo, e ele me respondeu imediatamente: “Bem-vindo à nossa casa”. Isso é o Botafogo. Os jogadores não passam por aqui, eles viram torcedores do Botafogo. É um clube que sabe cativar. Foi uma grande honra para mim estar aqui – concluiu.

A visita foi guiada pelo sócio-benemérito Luiz Felipe Carneiro de Miranda, pela diretora social Leticia Gastaldoni e pelo diretor de comunicação Emilio Adam. Rizek ainda ganhou uma camisa do Botafogo e posou para fotos.

Assista ao vídeo abaixo:

Rizek agradece ao carinho do Botafogo:

Fonte: Redação FogãoNET