Botafogo foi campeão da Copa Peregrino em janeiro de 2008. Lucio Flavio levantou o troféu no Estádio Nilton Santos (Engenhão)Lucio Flavio ergueu o primeiro troféu internacional do Nilton Santos (Fotos: Reprodução/Internet)

Carlos Eduardo Sangenetto
18/01/2018
Rio de Janeiro (RJ)

Participantes inusitados, regulamento curioso, troféu diferente… Essa foi a Copa Peregrino, conquistada pelo Botafogo na pré-temporada de 2008 em cima de Stabaek, Viking e Start, três clubes da Noruega que estavam em excursão no Rio de Janeiro. America e Madureira foram os outros figurantes brasileiros na competição amistosa.

No caminho do título, o Botafogo pôde realizar ilimitadas substituições para bater o Stabaek por 2 a 0, com gols do meia Carlos e do atacante Fábio, em Mesquita, e atropelar o Viking por 4 a 0, com gols de Jorge Henrique, Lucio Flavio, Alessandro e Edson, no Estádio Nilton Santos (assista aos vídeos no fim da matéria).

Porém o mais estranho estava por vir. Por causa da proximidade do início do Campeonato Carioca, o Fogão não conseguiu enfrentar o Start e precisou ser representado pelo Boavista. O time de Bacaxá, da Região dos Lagos, “jogou junto”, empatou em 2 a 2 com o rival europeu e garantiu a conquista internacional para a Estrela Solitária no dia 18 de janeiro, há dez anos.

No entanto, o troféu singular, que tinha um tubarão peregrino como destaque, foi erguido apenas na estreia no Estadual, no dia seguinte, pelo capitão Lucio Flavio debaixo de uma tempestade de verão. A comemoração surpreendeu até o atacante Wellington Paulista, que recém chegava do Deportivo Alavés, da Espanha, para reforçar o Alvinegro.

– Nem sabia que o Botafogo tinha sido campeão, mas é bom, é uma conquista a mais, né? Só não entendi quando ouvi a torcida gritando “é campeão!” – confessou o novo camisa 9.

10 curiosidades da Copa Peregrino

  • A Copa Peregrino foi patrocinada pela empresa norueguesa StatoilHydro, petroleira que atuava no campo de Peregrino, na Bacia de Campos, no norte do estado do Rio de Janeiro
  • Flamengo e Fluminense se recusaram a participar do torneio amistoso
  • A competição, inicialmente, seria disputada no Maracanã com o pagamento de R$ 150 mil de aluguel por dia após acordo com o prefeito Eduardo Paes
  • Sem negócio com o Maracanã, todos os jogos foram disputados no Estádio Giulite Coutinho, em Mesquita/RJ, com a exceção de Botafogo x Viking no Nilton Santos
  • As substituições nas partidas eram ilimitadas
  • Os jogadores substituídos poderiam retornar ao campo
  • Os atletas que recebessem cartão vermelho não ficariam suspensos
  • O meia Alanzinho, ex-Flamengo, e o volante Ygor, ex-Vasco, eram os destaques do Stabaek e Start, respectivamente
  • Cem torcedores do Stabaek, vice-campeão norueguês, roubaram a cena nas arquibancadas com muita festa e cerveja gelada
  • A pedido dos clubes noruegueses, aos 22 minutos de cada tempo, uma rápida interrupção seria feita nas partidas para a hidratação dos atletas por causa da alta temperatura do verão do Rio de Janeiro. Medida foi precursora da parada técnica adotada na Série A do Campeonato Carioca de 2010

Quem lembrava dessa aí? Alguém foi ver os jogos? Compartilhe sua experiência.

Saudações alvinegras!