Nunca duvide. Nunca duvide das tramas que o futebol apronta, nem da capacidade do Botafogo de encarar enormes desafios como um verdadeiro gigante. Quando as fronteiras do Brasil são ultrapassadas e um adversário duro aparece do outro lado do campo, seja pelo retrospecto ou tradição, o sempre aplicado Alvinegro parece tratar tudo com invejável naturalidade. E tem pegado gosto pela coisa. A casca já está grossa.

Ontem, contra o Defensa y Justicia, líder da Superliga Argentina e sensação do país vizinho, vimos apenas mais um capítulo desta história que tanto vivemos, amamos e sofremos. E como sofremos. O que foi aquele primeiro tempo no Norberto “Tito” Tomaghello? Perdoem-me os mais otimistas e efusivos, mas o Fogão não viu a cor da bola – porém a tática não poderia ser diferente mesmo contra o time de Beccacece. Não sei para vocês, mas foram os 45 minutos mais agoniantes dos últimos tempos. Não foi aquele clássico ferrolho de chuverinhos na área, foi uma correria danada, jogadas trabalhadas, não tinha bola perdida (ela quase nem saía), para o nosso desespero. A intensidade e repertórios dos caras, que impressionou o técnico Ricardo, mesmo com uma equipe mista, certamente fizeram vários botafoguenses pensarem:

– Segura esse jogo, Gatito! Cadê aquela cera básica? Ajude aí!
– Até quando Marcinho vai aguentar essas investidas pela esquerda?
– Que roubada para o Marcelo! Tomara que segure a onda, tá brabo!
– Volta, Carli! PQP, vai dar ruim!
– Se o segundo tempo for assim também, vai ser f…

Diante deste cenário, a bola rolou para a segunda etapa. A necessidade dos hermanos pela vitória fez alguns titulares saírem do banco de reservas e os espaços aparecerem. Seguro lá atrás, o Botafogo conseguiu finalmente colocar em prática a proposta inicial, que era explorar os contra-ataques. Logrou êxito e deixou o campo com uma surpreendente goleada e um quadro de estatísticas que fascina qualquer apaixonado por futebol, esporte que teima em confrontar com a lógica. É isso e temos que aceitar.

Apreciem o scout abaixo, observem a posse de bola e as finalizações, é uma loucura.

Houve muita defensa, mas nem tanta justicia assim.

Não estamos nem aí. Queremos o bi.

Saudações alvinegras!

Estatísticas de Defensa y Justicia 0 x 3 Botafogo pela Copa Sul-AmericanaDOIDEIRA! Estatísticas de Defensa y Justicia 0 x 3 Botafogo pela Copa Sul-Americana (Foto: Reprodução/DAZN)