Isso é Botafogo! Preciso e copeiro, contando mais uma vez com o brilho de Erik e um golaço antológico de Alex Santana, digno de Prêmio Puskas, o Glorioso foi até a Argentina e venceu novamente o Defensa y Justicia, desta vez por 3 a 0, no acanhado Estádio Tito Tomaghello, nesta quarta-feira, garantindo-se como o primeiro brasileiro na segunda fase da Copa Sul-Americana. O adversário, cheio de pompa, brigando pelo título argentino, sucumbiu diante da mítica Estrela Solitária.

Com a vantagem construída na ida, o Botafogo adotou uma postura que já era esperada: postou-se atrás para tentar sair nos contra-ataques. Só que a pressão do Defensa y Justicia foi intensa no começo. Logo aos 7 minutos, os argentinos tiveram a melhor chance: após cruzamento da esquerda, Alexis Castro cabeceou sozinho dentro da pequena área para fora, assustando os botafoguenses.

Depois dessa chance clara, é bem verdade, o Defensa y Justicia continuou cercando a área alvinegra, mas sem criar mais perigo ao gol de Gatito Fernández. Com o passar do tempo e a marcação ajustada, o Botafogo até chegou algumas vezes ao ataque e criou uma boa oportunidade aos 32: Rodrigo Pimpão cruzou e Barboza desviou para o escanteio, impedindo a conclusão de Kieza na pequena área.

No segundo tempo, o Botafogo seguiu com a postura de se defender, mas conseguiu o gol decisivo num contra-ataque preciso. Jean descolou lançamento de muito longe, Erik – que fez o golaço do primeiro jogo – recebeu em velocidade, avançou e tocou na saída do goleiro, fazendo 1 a 0 aos sete minutos. Com o gol sofrido, o Defensa y Justicia teria que fazer três para se classificar.

A equipe argentina não teve alternativa a não ser atacar ainda mais. Aos 14 minutos, Nicolás Fernández teve uma ótima oportunidade de cabeça, mas jogou para fora. O mesmo Nicolás Fernández faria o gol de empate aos 22, mas o bandeirinha acertadamente assinalou impedimento, invalidando o lance. Depois, Marcinho foi expulso após dar uma cotovelada em Nicolás Fernández, deixando o Fogão com 10.

Quando a pressão argentina aumentava ainda mais, Rodrigo Pimpão foi derrubado por Miranda dentro da área. Erik pegou a bola e bateu o pênalti com segurança, anotando seu terceiro gol na competição. Aí o Defensa y Justicia precisava fazer quatro, o que, claro, não aconteceu. Mas deu tempo para o gran finale: Alex Santana, do meio da rua, fez o gol que Pelé não fez, encobrindo o goleiro. Uma pintura, um golaço digno de Prêmio Puskas. Um dos maiores golaços da gloriosa história alvinegra.

Próximos jogos

Classificado, o Botafogo agora só conhecerá em maio seu adversário na segunda fase da Copa Sul-Americana, que se definirá em sorteio e já contará com as equipes eliminadas na Libertadores. No sábado, o Glorioso estreia na Taça Rio, o segundo turno do Campeonato Carioca, diante do Vasco, às 19h30, no Estádio Nilton Santos. Na quarta-feira seguinte, dia 27, será a vez de enfrentar o Cuiabá, também em casa, pela segunda fase da Copa do Brasil.

FICHA TÉCNICA
DEFENSA Y JUSTICIA 0 X 3 BOTAFOGO

Estádio: Tito Tomaghello
Data/Hora: 20/02/2019 – 21h30
Árbitro: Diego Haro (PER)
Assistentes: Jonny Bossio (PER) e Jesus Sánchez (PER)
Cartões amarelos: Alexis Castro, Alex Barboza, Tripichio e Nicolás Fernández (DYJ); Luiz Fernando, Jean, Gatito Fernández, Marcinho, Kieza e Rodrigo Pimpão (BOT)
Cartões vermelhos: Marcinho 23’/2ºT (BOT)
Gols: Erik 7’/2ºT (0-1), Erik 29’/2ºT (0-2) e Alex Santana 36’/2ºT (0-3)

DEFENSA Y JUSTICIA: Unsain; Tripichio, Martínez, Alex Barboza e Delgado (Nicolás Fernández 13’/2ºT); Alexis Castro, Villarruel (Miranda – Intervalo) e Merlini (Matías Rojas 7’/2ºT); Aliseda e Fernando Márquez – Técnico: Sebastian Beccacece.

BOTAFOGO: Gatito Fernández; Marcinho, Gabriel, Marcelo Benevenuto e Jonathan (Gilson 16’/2ºT); Jean, Alex Santana e Luiz Fernando (Leo Valencia 33’/2ºT); Rodrigo Pimpão, Erik e Kieza (Helerson 26’/2ºT) – Técnico: Zé Ricardo.

Fonte: Redação FogãoNET