Marcinho (21), Igor Rabello (22), Marcelo Benevenuto (22) e Moisés (23) formam a defesa titular do Botafogo desde o início da Taça Rio. Nos últimos três jogos, clássicos decisivos contra Vasco e Fluminense, o quarteto sub-23 escalado pelo técnico Alberto Valentim sofreu oito gols, o que liga um sinal de alerta para a reta final do Campeonato Carioca.

Fluminense 3 x 0 Botafogo (25/03)
Vasco 2 x 3 Botafogo (21/03)
Botafogo 2 x 3 Vasco (18/03)

O estado de vigilância foi iniciado pelos torcedores alvinegros há uma semana, quando o Fogão ainda sofria com as bolas aéreas no duelo contra o Vasco, pela última rodada da Taça Rio. As arquibancadas do Nilton Santos ensaiaram o pedido pelo retorno do zagueiro argentino Joel Carli, mas logo foram abafadas pelo gol da vitória marcado pelo “General” Rabello. Questionado recentemente pela imprensa sobre a ausência do hermano, Valentim não deu explicações esclarecedoras, falando apenas em uma espécie de rodízio no banco de reservas.

Na partida contra o Fluminense, Marcinho foi inoperante no ataque e precisou ser substituído por Luis Ricardo. Igor Rabello e Benevenuto não foram bem na marcação e o lateral Moisés, apesar de ser uma boa surpresa na posição, tem deixado espaços na recomposição.

Rodrigo Lindoso e Marcelo também não estão bem

À frente da zaga, outra configuração não passa segurança para o sistema defensivo. Rodrigo Lindoso e o volante Marcelo, que veio do futebol de Israel e tem substituído João Paulo nos últimos jogos, também são questionados pelos botafoguenses. No último domingo, a dupla foi ineficiente na saída de bola e teve uma média de 3,75 nas atuações dadas pela redação do FOGÃONET.

Não é hora de mudar? O Flamengo jogará a semifinal do Carioca podendo empatar, ou seja, o Botafogo que entrar em campo na próxima quarta-feira no Maracanã não pode dar chance para o rival. Como você mexeria no time? Deixe sua opinião.

Saudações alvinegras!