Rodrigo Aguirre foi apresentado como novo reforço do Botafogo até julho de 2019. Emprestado pela Udinese, da Itália, o atacante uruguaio vestiu a camisa alvinegra graças a esforços financeiros de quatro ilustres botafoguenses, que numa ação conjunta viabilizaram a chegada do jogador em meio a apertos no orçamento para a temporada. Dois deles, já publicamente conhecidos, foram o ex-presidente Carlos Augusto Montenegro e o influenciador digital Felipe Neto. Mas outros dois nomes também tiveram participação efetiva na transação: Cláudio Good e Diniz Baptista.

Cláudio Gipiela Good talvez seja o nome mais conhecido desta dupla. Economista escocês, no Brasil desde 1970, ele foi vice de finanças nas gestões de Bebeto de Freitas e Mauricio Assumpção. Diniz Baptista é presidente e fundador do Banco Modal, parceiro financeiro do clube há alguns anos.

Os parceiros foram rapidamente mencionados na coletiva de imprensa desta sexta-feira no Estádio Nilton Santos pelo presidente Nelson Mufarrej. O mandatário mostrou-se grato pela ajuda dos colaboradores.

– Essa é uma ajuda espontânea de botafoguenses que querem ver o Botafogo hoje em outro patamar, um patamar que vem do ano passado com a disputa da Libertadores e da Copa do Brasil – disse Nelson.