Muitos torcedores sabem que comprar uma faixa de campeão na saída do estádio não é das tarefas mais fáceis, caso a ideia seja guardar como recordação a relação dos vencedores do campeonato da forma mais fiel possível. Não foi diferente com o título carioca conquistado pelo Botafogo, no último domingo, sobre o Vasco, no Maracanã.

Uma das faixas comercializadas nos arredores do estádio reuniu algumas gafes cruzando o peito dos botafoguenses. Nomes foram escritos de forma equivocada, outros esquecidos… Até quem nunca entrou em campo foi lembrado (veja abaixo).

Os deslizes em Jefferson, Igor Rabello e Valentim foram os mais sutis, pois a questão foi apenas a falta da dobra das letras “L” e “F”, nos dois primeiros, e troca do “M” pelo “N” no fim do nome do treinador.  E Rodrigo Aguirre? O atacante uruguaio nem jogou pelo Alvinegro, mas garantiu um espacinho e foi batizado como “Agurre”. Mas talvez o que mais destoou foi o sobrenome do zagueiro Marcelo Benevenuto, que acabou virando “Beneveluto”.

Com espaço para 16 jogadores, a peça deixou fora Arnaldo, Luis Ricardo, Marcos ViníciusEzequiel e até mesmo GilsonMatheus Fernandes e Kieza, que atuaram na finalíssima.

Três por R$ 15, quem compra?

Saudações alvinegras!

Faixas de camelô do título carioca do Botafogo