Vistos como esperança de dias melhores para o Botafogo, os irmãos Moreira Salles estão insatisfeitos com algumas pendências financeiras deixadas pela diretoria alvinegra. O imbróglio é em relação ao repasse acordado de venda de atletas para cobrir uma dívida antiga que hoje gira em torno de R$ 40 milhões.*

O Boletim do C.E apurou que, além de parcelas de aproximadamente R$ 100 mil estarem atrasadas, o Botafogo não se posicionou sobre a demora na operação. Segundo fontes ligadas à diretoria, e-mails foram enviados para diferentes lideranças de General Severiano, mas não houve nem sequer uma resposta, o que causou um descontentamento dos empresários com o clube.

Procurada pela coluna do FogãoNET na última quinta-feira, antes do feriado, para dar explicações sobre a questão, o Botafogo informou que desconhece qualquer problema no relacionamento com os irmãos.

CEP diz que há pendências financeiras com o novo CT

Em entrevista na noite desta terça à Rádio Botafogo, no YouTube, o vice-presidente geral Carlos Eduardo Pereira disse que também há débitos em aberto com relação ao centro de treinamento, adquirido pelos Moreira Salles em 2018. Mas o dirigente disse que é necessário compreensão por causa da “situação delicadíssima” que vive os cofres alvinegros.

– É aquele negócio: quando as contas estão apertadas, entre você pagar a conta de luz do Estádio Nilton Santos e ter que pagar os Moreira Salles, eu acho que você vai pagar a conta de luz. Não dá para criticar a decisão do vice-presidente de finanças (Luiz Felipe Novis). É uma questão de bom senso. Acho que o clube está passando por uma fase difícil e todos os botafoguenses devem ter um pouco de compreensão de que a gestão precisa ter de uma flexibilidade, especialmente a gestão de pagamentos. A situação do clube é delicadíssima – afirmou CEP.

Novamente consultado, o Botafogo comunicou que “está em dia com as obrigações financeiras relativas ao CT”.

*Matéria atualizada às 22h48

Fonte: Redação FogãoNET