Carlos Eduardo Sangenetto
17/01/2018
Rio de Janeiro (RJ)

O Estádio Nilton Santos reabriu assim como fechou as portas no ano passado, de forma melancólica para o Botafogo. Se não bastasse o resultado nada animador na primeira exibição de 2018, com um empate em 2 a 2 contra a modesta Portuguesa-RJ, a casa alvinegra recebeu o público com vários problemas registrados pelo Boletim do C.E.

A data e horário da partida não ajudaram o torcedor em nada para matar a saudade do Glorioso. Tanto que numa terça-feira, às 21h30, apenas 4.743 estiveram presentes na estreia na Taça Guanabara. Se o calendário não ajudou, a organização do evento também não colaborou com a vida do torcedor.

Bilheteria congelada formou imensa fila no Setor Leste

Tudo começou com o problema na bilheteria do Setor Leste. Uma hora após a abertura dos portões do Niltão, um problema técnico ainda impossibilitava a compra de ingressos. Os botafoguenses, que tinham apenas um guichê à disposição, precisaram se deslocar para outros setores para adquirirem entradas a tempo da bola rolar. Péssima primeira impressão.

– Fila preferencial? Só tem um guichê, amigo. Quem quer preferencial vê o jogo em casa – disse um dos funcionários que davam suporte à venda de bilhetes para um torcedor acompanhado de um idoso.

Bilheteria do Nilton Santos com problemas antes de Botafogo x Portuguesa-RJBilheteria do Setor Leste teve problema para atender o torcedor do Botafogo (Foto: C.E Sangenetto/FOGÃONET)

Banheiros sem papel e cadeiras imundas nas arquibancadas

Dentro do estádio, mais despreparo. Segundo relatos à reportagem, a maioria dos banheiros masculinos e femininos não tinham papel higiênico e papel toalha. Ao se acomodarem em seus lugares na arquibancada, os alvinegros viram cadeiras imundas, algumas delas até com pintura descascando. Não há manutenção? O Nilton Santos ficou 44 dias sem jogos oficiais, tempo houve de sobra…

Cadeira suja do Estádio Nilton SantosCadeiras do Estádio Nilton Santos estão sem manutenção (Foto: C.E Sangenetto/FOGÃONET)

Locutor do Nilton Santos erra nome do técnico Felipe Conceição e do volante Matheus Fernandes

Outra grande surpresa para os torcedores foi a ausência do telão localizado no Setor Sul, que está sendo trocado pela diretoria. Sem o principal meio de comunicação interna, a responsabilidade do locutor do estádio aumentou. Mas algumas falhas e gafes também foram apontadas. Se já há um trabalho de divulgação do nome de Felipe Conceição para substituir o apelido de “Felipe Tigrão”, dos tempos de jogador, o técnico do Botafogo foi anunciado como “Felipe de Oliveira“.

No segundo tempo, na substituição de Matheus Fernandes por Rodrigo Lindoso, o estádio informou que o volante “Milton Fernandes” havia deixado o campo. E no gol de empate do Fogão, no apagar das luzes, aos 48 minutos, houve uma grande demora para o anúncio do tento marcado por Marcos Vinícius.

Estádio Nilton Santos, do Botafogo, sem telãoTelão do Setor Sul do Estádio Nilton Santos será trocado (Foto: C.E Sangenetto/FOGÃONET)