De tanto tentar, o Botafogo conseguiu: não vai disputar a Libertadores em 2018. O Glorioso apenas empatou com o Cruzeiro em 2 a 2 na tarde deste domingo, no Estádio Nilton Santos, e acabou o Campeonato Brasileiro só na décima colocação. Na última rodada, o Fogão foi superado por Chapecoense (que venceu o Coritiba por 2 a 1 com gol aos 49 minutos do segundo tempo) e Atlético-MG (que derrotou o Grêmio por 4 a 3 com um golaço de Otero aos 53). Restou apenas a vaga na Sul-Americana.

Desfigurado, o Botafogo começou levando o jogo em banho-maria, sem pressionar e sem sofrer pressão. Aos 26 minutos do primeiro tempo, saiu o gol alvinegro. Leo Valencia cruzou com extrema categoria da direita e Brenner cabeceou no contrapé de Rafael, fazendo 1 a 0. Àquela altura, o Botafogo estava se classificando diretamente à fase de grupos da Libertadores – essa situação durou poucos minutos, depois que o Vasco abriu o placar sobre a Ponte Preta.

O gol empolgou o Botafogo, que teve duas boas oportunidades em sequência. Aos 30, Leo Valencia cobrou escanteio com muito veneno e Dudu Cearense cabeceou livre, mas Rafael fez a defesa no reflexo. Depois, o próprio chileno fez jogada individual e chutou à direita. Porém, o Cruzeiro, que parecia morto, conseguiu o empate. Rafinha deixou Victor Luis no chão, numa falha bisonha do lateral alvinegro, cruzou para Arrascaeta pegar de bicicleta e Thiago Neves completou no segundo pau: 1 a 1.

Rodrigo Lindoso falhou no segundo gol do Cruzeiro sobre o Botafogo (FOTO: Vitor Silva/SSPress)

Rodrigo Lindoso falhou no segundo gol do Cruzeiro (FOTO: Vitor Silva/SSPress)

O segundo tempo começou já com mais uma falha bisonha da defesa do Botafogo. Dudu Cearense e Rodrigo Lindoso protagonizaram uma jogada típica dos Trapalhões e Arrascaeta só empurrou para as redes. O apoio da torcida, que já estava mais para nervosismo, virou apreensão total e pressão, com gritos pedindo raça. Mesmo assim, apesar de tudo, os resultados ainda colocavam o Botafogo na próxima Libertadores, na oitava colocação.

Precisando da virada, Jair Ventura promoveu a entrada de Ezequiel no lugar de Rodrigo Lindoso, colocando o time para a frente. Deu resultado. Aos 15 minutos, Dudu Cearense quase empatou de cabeça, com Rafael fazendo a defesa. Um minuto depois, Brenner chutou desviado e a bola explodiu no travessão. A torcida voltou a jogar junto. E o empate saiu aos 23 minutos: Brenner tocou no meio e Ezequiel, o garoto de ouro, dominou próximo à marca do pênalti, limpou Bryan com nojo e tocou para o gol, fazendo 2 a 2.

O empate continuava fazendo o Botafogo depender de outros resultados para ir à Libertadores, e eles estavam acontecendo. Porém, nos acréscimos, Chapecoense e Atlético-MG fizeram seus gols e passaram o Fogão na tabela. No fim, muitas vaias da torcida alvinegra. O Botafogo, que tinha a vaga nas mãos (até mesmo a vaga direta, sem ter que passar pela fase preliminar), a viu escorrer pelos dedos. Uma forma melancólica de uma temporada tão promissora acabar.

FICHA TÉCNICA
BOTAFOGO 2 X 2 CRUZEIRO

Local: Estádio Nilton Santos
Data-Hora: 3/12/2017 – 17h
Árbitro: Leandro Bizzio Marinho (SP)
Assistentes: Daniel Paulo Ziolli (SP) e Daniel Luis Marques (SP)
Renda e público: R$ 256.700,00 / 18.354 pagantes / 20.636 presentes
Cartões amarelos: Carli (BOT); Thiago Neves, Henrique, Lucas Romero, Rafinha e Arrascaeta (CRU)
Cartões vermelhos: Rafinha 30’/2ºT (CRU)
Gols: Brenner 26’/1ºT (1-0), Thiago Neves 37’/1ºT (1-1), Arrascaeta 4’/2ºT (1-2) e Ezequiel 23’/2ºT (2-2)

BOTAFOGO: Gatito Fernández; Carli, Igor Rabello, Carli e Victor Luis; Dudu Cearense, Matheus Fernandes, Rodrigo Lindoso (Ezequiel 10’/2ºT) e Leo Valencia; Guilherme (Marcos Vinicius 25’/2ºT) e Brenner (Vinicius Tanque 29’/2ºT) – Técnico: Jair Ventura.

CRUZEIRO: Rafael; Lucas Romero, Digão (Ariel Cabral 26’/2ºT), Murilo (Arthur 32’/1ºT) e Bryan; Henrique, Lucas Silva e Arrascaeta; Rafinha, Thiago Neves (Alisson 18’/2ºT) e Robinho – Técnico: Mano Menezes.

Fonte: Redação FogãoNET