Antes de aceitar uma proposta irrecusável para dirigir o Pyramids, do Egito, e treinar o Vasco no fim do ano passado, o técnico Alberto Valentim viveu uma passagem “incrível” pelo Botafogo, coroada com o título do Campeonato Carioca. Foi assim que o treinador definiu a experiência à frente do Fogão no programa “Bola da Vez”, da ESPN Brasil, exibido no último fim de semana.

Durante suas lembranças da campanha do título estadual, Alberto Valentim revelou que fez um pacto assim que chegou ao Glorioso: uma revanche contra o Flamengo e a luta pelo troféu da competição. E mais, ele contou que pediu para Rodrigo Pimpão chamar Joel Carli para o ataque nos últimos minutos da finalíssima contra o Vasco no Maracanã – o zagueiro argentino fez o gol da vitória aos 49′ do 2º tempo, levando o clássico para decisão nos pênaltis, vencida pelo Glorioso nas mãos de Gatito Fernández.

– O Botafogo foi incrível. Eu cheguei ao Botafogo recém-eliminado precocemente da Copa do Brasil para Aparecidense e recém-eliminado para o Flamengo na Taça Guanabara (3 a 1). Eu vi um Botafogo destruído emocionalmente, eu tive oito sessões de treino, nunca esqueço disso, e ali fizemos um pacto: “Vamos encontrar o Flamengo lá na frente de novo e vamos por partes. A gente tem que achar uma vaga na semifinal do campeonato. Acontecendo isso, vamos lutar pelo título”. Mas tínhamos que lembrar isso diariamente. As coisas foram acontecendo, o time foi criando uma identidade forte e os jogadores compraram a ideia de forma maravilhosa também. Fomos para semifinal da Taça Rio. Quem encontramos? O Flamengo. Ganhamos de 1 a 0 em uma partida maravilhosa: gol do Luiz Fernando, com cruzamento do Marcinho. Fomos para final contra o Vasco. Perdemos o primeiro jogo (3 a 2) e fomos para o Maracanã. O Botafogo era uma equipe desacreditada, mas estávamos muito fortes e unidos para conquistar o título. Nós iríamos buscar o título de qualquer forma. Perdemos o João Paulo, nosso grande capitão, o Moisés, super em forma, e o Luiz Fernando em uma pancada. A torcida do Vasco estava fazendo festa, o banco do Vasco todo ali, e nós acreditando até o fim. Lembro bem que o Rodrigo Pimpão veio tomar uma água, eram 38′ (2º tempo) e eu disse “daqui a dois minutos vai dar 40 e pode falar para o Carli ir lá pra frente”. Era tudo ou nada, né? – contou.

Com 44 anos de idade e atualmente sem clube, Valentim não teve dúvidas ao afirmar que a conquista do Carioca-2018 foi o ponto mais alto da sua carreira, pelo menos no quesito emoção.

– Foi a maior emoção da minha carreira, com certeza. Eu lembro que fui até atrás do gol correndo, enfim… Se você pegar as imagens, estava todo mundo pronto ali para comemorar, né? A gente conseguiu nos últimos segundos fazer 1 a 0, ganhar o jogo e levar a decisão para os pênaltis. Depois o Gatito foi espetacular. Nossos batedores foram muito bem também – acrescentou.

Fonte: Redação FogãoNET